Ano-Novo e autoestima

Há décadas, indagado sobre as expectativas da virada de mais um ano, exclamei: Ano-Novo! Ano-bom? Depende de nós!

Fonte: Jornal O Sul, edição de 4 de janeiro de 2010, segunda-feira. | Fonte: Jornal O Sul, edição de 4 de janeiro de 2010, segunda-feira. | Atualizado em abril de 2020.

Cada ano que desponta renova a Esperança em dias mais felizes. Previsões são feitas, metas estabelecidas... Entretanto, nada se modificará se não soubermos que, por detrás do ideário de um mundo melhor, é indispensável, logo em primeira instância, uma postura íntima, espiritual-ecumênica, exteriorizada em boas ações. Há décadas, indagado sobre as expectativas da virada de mais um ano, exclamei: Ano-Novo! Ano-bom? Depende de nós! E cada segundo da vida também!

O dom da vida

Reprodução BV

Eduardo VIII

O sofrimento é uma realidade. Mas deverá ser eternamente assim? A Vida é um dom de Deus. O ser humano, porém, precisa reconhecer o próprio valor, que se inicia no Plano Espiritual, de onde todos viemos e para onde, na hora certa, determinada por Deus, todos voltaremos. Quando se fala em desenvolvimento da autoestima da população pensa-se, às vezes, somente no “desfavorecido da sorte”. Este, em diversas ocasiões, demonstra maior força de vontade do que o “bem situado”. Senão como explicaríamos a sua sobrevivência? Vejam o exemplo das mães pobres, quão guerreiras são! Há tanto tempo afirmo que a elite de um país é o seu povo; o que significa dizer que desse modo merece ser tratado, para que qualquer nação cresça.

Reprodução BV

Wallis Simpson

Não inveje “quem está por cima”. Enquanto se faz isso, não se avança. Até porque não é recomendado julgar as pessoas pela aparência ou pelo status social, sobretudo quando se leva em consideração as mais variadas questões psicológicas. Por isso, é importante ir além da ilusão da superficialidade, do estereótipo. Lembro-me de que, no colégio, aprendi que Eduardo VIII (1894-1972) – aquele que abdicou do trono da Inglaterra porque se apaixonou pela americana Wallis Simpson (1896-1986) – tinha, digamos, uma tremenda baixa autoestima. O pai, George V (1865-1936), que era dominador, não acreditava nele. Reparem que se referia a um integrante da família real inglesa. Entretanto, não são aspectos exteriores que definem os seres humanos. Todos têm seus dramas e carecem da Infinita Misericórdia de Deus.

Jamais se esqueçam de que a verdadeira fortaleza nasce do nosso íntimo espiritualmente sustentado no Supremo Criador. Ela se encontra no poder imanente da consciência em paz consigo mesma. Logo, a prece é um fator essencial para nos fortificar. Não é esconderijo de covardes.

Por isso, vou concluir estas simples palavras com uma oração de Jesus. Sabendo Ele que as criaturas estão constantemente apressadas, deixou uma oração curtinha, embora muito eficiente. Perfeita para começar o ano, ou qualquer hora: É a Prece Ecumênica do Cristo, o Pai-Nosso, que se encontra no Seu Evangelho, segundo Mateus, 6:9 a 13:

Pai-Nosso — a Prece Ecumênica de Jesus

Pai Nosso, que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome.

Venha a nós o Vosso Reino.

Seja feita a Vossa Vontade, assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia dai-nos hoje.

Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoarmos aos nossos ofensores.

Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, porque Vosso é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre.

Amém!”

Que essa sublime mensagem tenha feito bem a você, para que confie ainda mais na preciosidade que é a sua existência! E vamos em frente porque Deus Está Presente!

E, se for ateu, prossiga adiante, mas fazendo o Bem, pois vale a pena viver!

Tom Jobim e o ParlaMundi da LBV

O Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, em Brasília/DF, comemorou, em 25 de dezembro, 25 anos de existência. Desde que o inaugurei no Natal de Jesus, em 1994, o ParlaMundi da LBV, como também é conhecido, tornou-se referência de um local aberto à troca de ideias e proposições ecumênicas visando à Paz Mundial.

Divulgação

Tom Jobim

Tom Jobim, saudoso expoente da música brasileira e um dos criadores da Bossa Nova, antes de voltar à Pátria Espiritual, em 8/12/1994, registrou seu carinho pela ecumênica proposição do ParlaMundi em um clipe para a TV: “Eu acredito na vida e gosto de viver. Isso aparece nas minhas composições. Mas agora eu quero convidar você para cantar uma canção diferente. O Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica é a Sinfonia da Solidariedade Universal”.

Divulgação TBV

Caro Tom, onde quer que esteja, pois os mortos não morrem, a nossa mais sincera homenagem pela contribuição em prol do entendimento dos povos. Suas canções perpetuam o amor e o respeito à vida, passo primeiro para o surgimento de uma sociedade verdadeiramente solidária.

Agradecimento

Gostaria de agradecer a grande quantidade de cartas, e-mails e cartões que recebi na passagem do Natal Permanente de Jesus e pela chegada de mais um ano. Retribuo tantas manifestações de amizade, desejando a todos um 2020 repleto de realizações no Bem. Que Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, nos inspire na melhor condução de nossas vidas, fortalecendo em nossos corações o sentimento de Solidariedade e de Paz!

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.