Mecanismo das Concessões Celestes

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro "Tesouros da Alma", de dezembro de 2017. | Atualizada em dezembro de 2019.

Cumpramos bem a nossa missão prometida a Jesus antes de reencarnar e teremos sempre a proteção Dele, por pior que seja a difícil contingência momentânea. O mal, às vezes, pode — como dizer? — assustar. Contudo, eterno só o Bem, que é Deus. Conforme aprendemos neste axioma: “Deus ajuda a quem se ajuda”.

No entanto, como o Pai Celestial a todos ampara, por uma extensão da Sabedoria Divina, que ainda ignoramos em toda a sua amplitude, mais adequado seria exclamar: “Deus ajuda a quem MELHOR se ajuda!”

Nasa

Tesouros da Alma (2017) – Adquira!

Claro que não de forma egoísta. O egocêntrico pode valer-se dessa conceituação e aplicá-la aos seus interesses mais mesquinhos, indispondo-se, assim, contra o Mecanismo das Concessões Celestes. A Lei de Deus não se deixa engambelar e fatalmente concede “a cada um de acordo com as suas próprias obras”, como nos ensina Jesus (Evangelho, consoante Mateus, 16:27).

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.