Conhecimento profundo, convicção e atividade

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro Jesus, a Dor e a Origem de Sua Autoridade, de novembro de 2014.

A mensagem da Doutrina do Mandamento Novo do Cristo Planetário (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35; 15:7, 8, 10 a 17 e 9), proclamada pela Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, deve ser divulgada, por todos os meios possíveis, aos que aguardam o Toque Divino. O “Ide e pregai” de Jesus (Evangelho, segundo Marcos, 16:15) — em Espírito e Verdade, à luz do Mandamento Novo do Cristo Ecumênico, o Estadista dos estadistas — é inteiramente tarefa dos Cristãos do Novo Mandamento de Jesus, jovens de corpo e de Espírito. À frente devem estar os que não se deixam consumir pela cultura dominante, no que ela tem de ruim, a qual ainda teima em manter-se longe da Fonte da Paz, que é o Sublime Senhor.

O Poder de Jesus de a tudo iluminar é tão infinito que Lhe permitiu construir, na qualidade de Cristo de Deus, um planeta: a Terra.

Arquivo BV

José do Patrocínio

O destacado abolicionista brasileiro José do Patrocínio (1853-1905), que foi jornalista, farmacêutico, escritor e orador, asseverou: O cristianismo é o combate permanente ao egoísmo, a lição contínua de abnegação, de fraternidade.

Por não ser egoísta, Jesus, o Misericordioso, respondeu aos que O queriam apedrejar, inspirado em Salmos, 82:6*1: Não está escrito em vossa lei: Eu disse: sois deuses? (Evangelho, segundo João, 10:34).

Tela: James Tissot (1836-1902)

Detalhe da obra intitulada: O Sermão das Bem-aventuranças.

Tela: Guido Reni (1575-1642)

Título obra: São Mateus e o anjo.

E, prosseguindo: E, como tal, podereis realizar mais do que Eu, porquanto permanecereis neste mundo, e Eu volto para o Pai (Evangelho, consoante João, 14:12).

Que responsabilidade espiritual Jesus, o Cristo Ecumênico, o Governante Sublime, depositou em nossas Almas! Uma Divina Faísca da Autoridade do Seu Poder, conquistado, por Ele mesmo, no Seu infinito apostolado no Caminho Estreito (Evangelho, segundo Mateus, 7:7 a 14):

Jesus incentiva a orar
Tela: James Tissot (1836-1902)

Detalhe da obra intitulada: A Oração do Senhor.

7 Pedi, e Deus vos dará; buscai, e achareis [o Bem]; batei, e a porta vos será aberta.

8 Porque todo aquele que pede recebe de Deus; e o que busca encontra [o Bem]; e, ao que bate, a porta lhe é aberta.

9 E qual dentre vós é o homem que, seu filho pedindo-lhe pão, lhe dará uma pedra?

10 E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente?

11 Ora, se vós, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, o que é que não dará o vosso Pai, que está nos Céus, aos que Lhe pedirem?

12 Portanto, tudo o que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós também a eles, porque esta é a Lei e os Profetas.

As duas estradas

13 Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela,

14 porque estreita é a porta, e estreito, o caminho que conduz à Vida Eterna, e são poucos os que acertam com ela.

Ora, fica evidente que, se o ser humano deseja o mal, este acabará por vir-lhe ao encontro, porque é da Lei que a cada um seja dado segundo as obras de cada um (Evangelho de Jesus, segundo Mateus, 16:27) ou, tantas vezes, por meio de ardorosos pedidos. Não significa dizer que estes sejam dirigidos a Deus.

____________________

*1 Salmos, 82:6 “Eu disse: sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo”.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".