LBV, Ecumenismo e Dom Bosco

Artigo publicado no jornal A Tribuna em 14 e 15 de novembro de 2009.

O padre Marcos Sandrini, escritor e diretor da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre, nosso respeitável amigo, visitou os estúdios da Super Rede Boa Vontade de Comunicação na 55ª Feira do Livro da capital gaúcha, o maior evento literário a céu aberto das Américas.

O portal (www.boavontade.com) registrou com destaque o fraterno encontro: “Na última quarta-feira, 4 de novembro, o padre Sandrini lançou ‘Religiosidade e Educação’. Em entrevista, detalhou a composição do trabalho: ‘Escrevi esse livro depois de uma vasta pesquisa de seis anos. Meu grande objetivo é aproximar a religiosidade das novas gerações. Nós devemos entender mais o pensamento da juventude e, a partir disso, tentar fazer com que os jovens se encontrem com essa dimensão profunda da vida, o encontro com Deus’. Na ocasião, o diretor da Faculdade Dom Bosco, num dos exemplares do livro, dedicou: ‘Irmão Paiva Netto, na mesma raiz cristã que nos foi ensinada por São João Bosco, partilho consigo algumas convicções pedagógicas. Juntos, vamos construir gerações mais dignas. Com alegria, Pe. Marcos — 4/11/2009’.

“E o escritor esclareceu: ‘Dom Bosco foi um educador que nos aproximou mais de Jesus Cristo, o Nosso Grande Mestre. Então, a mesma admiração que o Paiva Netto tem por Dom Bosco também tenho’. Os laços que fraternizam o notável sacerdote com as Instituições da Boa Vontade (IBVs) são de longa data. Quando criança, seu pai ouvia todas as noites as pregações ecumênicas do jornalista e radialista Alziro Zarur (1914-1979), fundador da LBV. ‘Somos sete irmãos e ficávamos ao lado do rádio escutando, diretamente do Rio de Janeiro, a antiga Rádio Mundial. Zarur sempre me impressionou muito quando abria o Programa dizendo: ‘Glória a Deus nas Alturas e Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade’. A LBV tem uma preocupação ecumênica. Hoje em dia, por exemplo, na Educação, um professor tem 40 alunos em uma sala de aula, e esses são distribuídos em culturas diferentes (...). A gente tem de trabalhar de uma forma ecumênica, no sentido de dialogar com todos. Não podemos impor a nossa visão’, destacou. Na oportunidade, o padre Marcos recebeu o carinho das crianças da LBV e aproveitou para saudar o sexagésimo aniversário da Entidade. ‘Que esses anos se multipliquem em muitos e muitos. Que a gente consiga, nos anos que vão passando, ser uma proposta de Deus para o mundo. Não podemos mais continuar com essa crise social e ecológica, temos de dar a nossa contribuição da melhor forma: educar as novas gerações; não alguns, mas todos! Por isso lutamos: para que haja uma educação a todos, tenhamos uma vida mais digna no futuro. Que a LBV continue sendo ecumênica e, sobretudo, continue na sua luta para que cada vida seja respeitada. Hoje, temos a grande oportunidade de conviver com pensamentos diferentes (...…). Acredito sinceramente que a juventude pode fazer um mundo melhor, o diferente tem que ser respeitado’”.

Grato, padre Sandrini. Que o extraordinário taumaturgo de Turim prossiga inspirando-o no ideal salesiano. Como ensinou Dom Bosco: “Se quisermos fazer prosperar os nossos interesses espirituais e materiais, procuremos antes de tudo fazer prosperar os interesses de Deus e promovamos o Bem espiritual e moral do nosso próximo por meio da Caridade”. E assim, pelas veredas do Ecumenismo, as futuras gerações encontrarão o caminho seguro para a tão sonhada terra que emana leite e mel.

Patrono da Feira recebe homenagem da LBV
Quem também esteve, no mesmo dia, conhecendo os estúdios da Super RBV de Rádio na 55ª Feira do Livro foi o jornalista e escritor de obras infantis Carlos Urbim, sendo recepcionado pelo Coral Infantil Boa Vontade, formado por meninos e meninas atendidos pela LBV em seus diversos programas socioeducacionais. Duas belas composições (Mérito à Solidariedade e a Prece do Pai-Nosso) saudaram o patrono da Feira que recebeu das mãos das crianças a majestosa estampa de Jesus, o Cristo Ecumênico, e um cartão confeccionado por elas mesmas. Urbim, emocionado, declarou: “É lindo receber esta homenagem espontânea e ouvir vozes angelicais na maior das orações da Humanidade. Estas crianças são o fruto do belo trabalho solidário que a LBV realiza. É de encantar! São vozes lapidadas pelo trabalho de vocês, e que bom que se erguem para o Céu em agradecimento a tudo”.

Prezado colega Urbim, sentimo-nos honrados com sua visita.

Só falta você
Prestigie a 55ª Feira do Livro em Porto Alegre, que se encerra amanhã, 15/11, e visite os estúdios da Super RBV, localizados na Rua Capitão Montanha, em frente ao Banco do Estado do Rio Grande do Sul. Para outras informações, ligue: (51) 3224-2042. Meus agradecimentos às livrarias Momento Cultural, Estação Cultura, Federação Espírita do Rio Grande do Sul e AJR — Distribuidora de Livros, que estão expondo algumas de minhas obras, a exemplo de Reflexões da Alma e Em Pauta.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.