Diplomacia inter personas e Itamaraty das Duas Humanidades

Fonte: Livro Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, volume 3, de 1987 | Atualizado em agosto de 2017.

Quando abordamos a questão do Armagedom (Apocalipse de Jesus, segundo João, 16:16), profetizado para este fim de ciclo apocalíptico que vivemos, imediatamente recordamos a afirmação do saudoso Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, Alziro Zarur (1914-1979)(,) de que será um embate em dois planos: material e espiritual (Profeta Isaías, 24:21). Não se trata tão somente de uma guerra de armamentos atômicos, químicos e biológicos. Mesmo que o mundo, apenas para argumentar, aparente estar em paz, os corações ainda estão armados e os explosivos psíquicos estourando dentro deles. O que tem de ser desativado são os explosivos do sentimento malconduzido. Para isso, a Religião do Terceiro Milênio lançou o Ecumenismo Irrestrito, cuja base é o Amor do Mandamento Novo de Jesus: “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos. (...) Ninguém tem maior Amor do que doar a própria vida pelos seus amigos” (Evangelho do Cristo, segundo João, 13:34 e 35, e 15:13). É um trabalho que está além do simples relacionamento entre as nações. É necessário criar a diplomacia da comunicação inter personas para afastar o ódio dos corações, porque ele é arma voltada contra o peito de quem odeia. E mais: é preciso surgir uma convivência diplomática entre o mundo material, ponderável, humano, e o mundo imponderável, espiritual, estabelecendo um Itamaraty entre a civilização encarnada e a desencarnada — unir as Duas Humanidades. Utopia? Muitos foram os que afirmaram coisas consideradas loucas pelos sábios, doutores, sacerdotes e o próprio povo, e hoje crianças têm esses postulados como assuntos do bê-á-bá. A utopia de ontem é a realidade de hoje na forma do progresso. Há quem nos julgará doido ao ler este texto. No entanto, doidos são aqueles que sequer pensar admitem que nem tudo se resume a este mundo. A Terra não é o centro do Universo. Nem o corpo físico é a nossa destinação final.

Na verdade, não existe vida material separada da espiritual. O que há é a Vida nos seus diversos aspectos. Um dia, a Humanidade vai chegar a compreender isso, e ninguém se suicidará mais, por saber que tal ato estará afetando drasticamente a sua Vida Eterna e que também gerará muito sofrimento até que o equilíbrio seja outra vez alcançado. 

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".