Pai-Nosso: a oração ecumênica de Jesus

Há mais de dois mil anos, Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, esteve visivelmente entre os seres humanos. Naquele tempo, entre as muitas iniciativas revolucionárias, ensinou as pessoas a falarem diretamente com o Pai Celestial, sem intermediários, por meio da prece do Pai-Nosso, constante em Seu Evangelho, segundo Mateus, 6:9 a 13.

Compreendendo a profundidade dos ensinamentos contidos nessa oração, Paiva Netto realizou, em 21 de dezembro 1981, a “Decodificação do Pai-Nosso”, durante conferência feita de improviso na cidade de Porto Alegre/RS. Na oportunidade, analisou minuciosamente, versículo a versículo, a grande mensagem deixada por Jesus nessa célebre prece, conteúdo esse que pode ser encontrado no terceiro volume da coleção Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo.

Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, volume 3 (1991).

Em seu artigo “Orar = Meditar”, Paiva Netto assim a define: A Vocês, prezados leitores, pois, dedicamos a admirável rogativa que Jesus nos legou, como um convite à reflexão nos momentos de angústia. Nunca é demais elevar o pensamento e o coração ao Altíssimo. A Prece que o Cristo ensinou, clara, concisa e prática, é perfeita para todos os instantes da vida, na alegria ou na tristeza, mormente agora, num mundo em que tudo acontece com velocidade espantosa. Todos podem rezar o Pai-Nosso. Ele não se encontra adstrito a crença alguma, por ser uma oração universal, consoante o abrangente Espírito de Caridade do Cristo Ecumênico, o Divino Estadista. Qualquer pessoa, até mesmo ateia (por que não?!), pode proferir suas palavras sem sentir-se constrangida. É o filho que se dirige ao Pai, ou é o ser humano a dialogar com a sua elevada condição de criatura vivente. Trata-se da Prece Ecumênica por excelência”. Leia o artigo na íntegra!

Ore com Paiva Netto a Prece Ecumênica de Jesus