O Espírito como instrumento de progresso

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro “Jesus e a Cidadania do Espírito”, de outubro de 2019.

O Espírito deve ser considerado — em sua Divina Dimensão, na qual o Amor, que é Deus, se mostra — como potente instrumento de progresso.

O Apóstolo dos Gentios, Paulo de Tarso, em sua Carta aos Gálatas, 5:22, 23 e 25, esclarece: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, serenidade e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. (...) Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito”.

Gustavo Henrique Lima

Mandala do TBV, um dos ambientes muito escolhidos pelos peregrinos, é também um local para expressar a Fé Realizante e promover a ligação com o Mundo Espiritual Superior.

Por isso, façamos de nossa existência um incansável labor em benefício da construção da Cidadania do Espírito em nós. A expansão do Bem na sociedade hodierna é responsabilidade de todos, porquanto é a salvação da humanidade como a conhecemos.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.