Vencer o sofrimento do corpo e da Alma

Fonte: Antiga revista Manchete, edição de 19 de fevereiro de 2000. | Atualizado em outubro de 2017.

Geralmente, fundam-se instituições filantrópicas somente tendo em vista aqueles que necessitam de bens materiais, destituídos daquilo que os olhos penosamente testemunham. Todavia, o padecimento das gentes vai muito além do que se comprova na triste visão da pobreza humana. A dor não se encontra apenas nos barracos, nos mocambos, nos charcos, nos dias e madrugadas em que a LBV e a Religião de Deus ininterruptamente levantam os mendicantes com a Caridade Completa — Material e Espiritual. As angústias também estão, e ferozes, nas mansões, nos apartamentos de luxo, nos palácios, onde o Amor nem sempre habita e a segurança começa a ficar distante. E não há maior sofrimento do que a ausência de Amor.

Vivian R. Ferreira

Clamando por tranquilidade d’Alma

Lá, nos ambientes requintados, há igualmente mães que choram a incompreensão dos filhos e filhos que padecem o abandono dos pais; casais que não se compreendem; mulheres que sofrem a leviandade dos maridos e maridos que lamentam a frivolidade das esposas; enfermos cercados das maiores atenções médicas, mas sem a sustentação dos corações que mais amam; e até mesmo existem patrões de Espírito mais humilde que o de seus subordinados.

Todos enfrentamos problemas. Todos! Se o drama não é estritamente pessoal, afligimo-nos com a dor de alguém muito querido. Um mundo de paradoxos, de contrastes impensáveis. Em última análise, somos simples seres falíveis, clamando por tranquilidade d’Alma; instintivamente anelando a concórdia, aliada ao conhecimento da Verdade, de preferência a Divina. Entretanto, lamentavelmente esquecidos de que — ontem, hoje, agora e sempre — o caminho da Paz legítima é o Amor de Jesus. Ele, que é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho, possui capacidade para iluminar o íntimo das criaturas.

Arquivo BV

Alziro Zarur

Ensinava Alziro Zarur (1914-1979): "Nenhum sofrimento é vão, nenhuma lágrima se perde. A vida humana é apenas uma preparação para a verdadeira Vida. Não há um pranto sequer que Deus não veja. E quem não chora a sua lágrima secreta? O Pai Celestial guarda-as para toda a Eternidade”.

As lágrimas dos pobres e as lágrimas dos ricos. O que importa numa sociedade realmente solidária altruística ecumênica é o ser humano e seu Espírito Imortal! Na Boa Nova, o Cristo, sem restrições, convida aos Seus braços todos os que padecem: 

“Vinde a mim, todos vós que estais exaustos e oprimidos, e Eu vos darei lenitivo. Sem mim, nada podereis fazer. Eu sou a árvore, vós sois os ramos. Nada podereis realizar sem meu apoio. Não vos deixarei órfãos, voltarei a vós. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie. Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo. Novo Mandamento vos dou: amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros. (...) Não há maior Amor do que doar a própria vida pelos seus amigos” (Evangelho, consoante Mateus, 11:28 e 28:20, e João, 13:34 e 35, 14:18 e 27 e 15:5 e 13).

Tela: Arnold Friberg (1913-2010)

Título da obra: Esteja em Paz.

O conforto espiritual no Apocalipse

No Livro das Profecias Finais, 2:5, o Divino Senhor, porém, adverte: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te, e volta à prática das primeiras obras; porque, se não, virei contra ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas". 

Arquivo LBV

Victor Hugo

Reprodução BV

Nostradamus

Algumas pessoas não sabem, mas o Apocalipse — não o confundir com previsões de fim de ano nem com Nostradamus (1503-1566) —, do mesmo modo, oferece alento aos que o analisam sem ideias preconcebidas, as quais não soam bem ao pensamento libertário da era em que vivemos. O Apocalipse — como o nomeava Zarur: “o mais importante livro da Bíblia Sagrada na atualidade mundial” — anuncia, para os que têm “olhos de ver e ouvidos de ouvir”*, o mais glorioso acontecimento de todos os tempos da História: Jesus Está Chegando! Por que não?! Victor Hugo (1802-1885), citado pelo filósofo e sociólogo italiano Pietro Ubaldi (1886-1972), costumava lembrar que quem hoje afirma que uma coisa é impossível tacitamente se coloca do lado dos que vão perder”.

Divulgação

Pietro Ubaldi

Ainda no Livro da Revelação, 22:12, 13, 16, 17, 20 e 21, o Bom Pastor conforta: “Eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras. Eu sou o Alfa e o Ômega, o A e o Z, o Princípio e o Fim, diz o Senhor. (...) Eu, Jesus, enviei o meu Anjo para vos testifcar estas coisas às Igrejas. Eu sou a Raiz e a Geração de Davi, a brilhante Estrela da manhã. O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve diga: Vem! Aquele que tem sede [da Palavra de Deus] venha! E quem quiser receba de graça a água da Vida Eterna! (...) Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Ora vem, Senhor Jesus! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós para todo o sempre. Amém!”.

E essa consolação nos fortalece neste momento em que a violência campeia livre pelo mundo.

_______________________________________

*“Olhos de ver e ouvidos de ouvir” — Encontramos esta citação no Corão Sagrado, 32a Surata (“As Sajda”):12: “(...) Ó Senhor nosso, agora temos olhos de ver e ouvidos de ouvir (...)”. Também no versículo 8 do capítulo 8 do Evangelho de Jesus, conforme os relatos de Lucas, podemos ler: “(...) Quem tem ouvidos de ouvir ouça”

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".