Jesus e as Mães

Fonte: Jornal A Tribuna Regional, de Santo Ângelo/RS, edição de 15 e 16 de maio de 2010, sábado e domingo | Atualizado em abril de 2017.

O Dia das Mães vem chegando. A elas, dedico a prece Jesus e as Mães, que fiz em homenagem às que habitam o Céu e a Terra.

Tela: Carlo Maratti (1625-1713)

Título da obra: A noite sagrada (o nascimento de Jesus).

Ó Jesus!
Tu, que és o Refúgio Seguro dos aflitos,
Escuta a voz das Mães
Que ao Teu Carinho elevam
O clamor de suas súplicas.

Aplaca, Senhor, as suas dores,
Pois cada uma delas,
Ó Divino Amigo,
Reconhece em Teu Coração
O seu bom destino;
Na Tua Santa Vontade, a força
Que não lhes permite sucumbir;
E na Tua Sabedoria contemplam,
As Mães da Terra e do Céu,
A educação que anseiam para os filhos.

Em Ti, Jesus, elas, quando sofrem,
Têm a certeza do alento,
Que, em geral, o mundo não lhes pode oferecer,
Porque ainda pouco tem para lhes dar.

Ouve, Filho Celeste de Maria Santíssima,
O apelo dos corações maternos,
Porque Tu, Jesus, és a Esperança que nunca morre.
Melhor que isso: a Convicção que não as deixa esmorecer.

E que assim, em Ti,
Eternamente seja,
Ó Divino Provedor de nossas vidas!
Amém!

Amor faz rima perfeita com Mãe

Dizem que Mãe não tem rima. Será?! Então secou-se-lhes a musa, ou saiu em férias... Mas não semelhantemente à famosa experiência de Guerra Junqueiro (1850-1923).

Amor faz rima perfeita com Mãe. Mãe é eterna também.

A musa em férias

Reprodução BV

Guerra Junqueiro

Por falar no velho Guerra, contam que o episódio assim se deu: o respeitado poeta português foi ao médico. Não sabia o que lhe cansava os ossos. O clínico, depois de examiná-lo com paciência, prescreveu ao cliente: “– Professor, o senhor não tem nada físico que um bom descanso não corrija. Viaje. Não faça nada, nem escreva, e tudo terminará bem. Pode confiar”. O vate prometeu que o faria. Contudo, o que acabou ocorrendo foi o seguinte: quando voltou do “descanso”, trazia um dos seus mais belos feitos para um novo livro: A musa em férias.

 

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.