Vida Eterna

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro “Jesus e a Cidadania do Espírito”, de outubro de 2019. | Atualizado em julho de 2020.

Morte, onde está a tua vitória? Onde, o teu aguilhão?

(I Paulo aos Coríntios, 15:55)

Os mortos não morrem!*1

Por sinal, esse é o brado do Templo da Boa Vontade (TBV), a Pirâmide das Almas Benditas, a Pirâmide dos Espíritos Luminosos — a Sede Espiritual da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo. No TBV, está a Glória do Criador por intermédio de todas as criaturas, encarnadas ou desencarnadas, portanto, vivas e ecumenicamente reunidas, na Terra e no Céu.

A vibrante Legionária da Boa Vontade de Deus Leontina Lopes (1937-1998), em psicografia datada de 3 de julho de 2004, pela mediunidade do Sensitivo Cristão do Novo Mandamento Chico Periotto, na ocasião do 29o Fórum Internacional do Jovem Ecumênico da Boa Vontade de Deus, em Goiânia/GO, Brasil, endereçou-nos comovente mensagem, da qual extraio alguns trechos*2 para nossa meditação:

“É preciso somente muita vontade para relacionar-se com as multidões invisíveis que, a todo instante, tentam instruir e ajudar os Irmãos de Boa Vontade.

“(...) Orem bastante e peçam auxílio sempre aos que fazem a proteção de suas vidas: nossos Amigos Guardiães, os Anjos da Guarda.

“Temos muitos amigos em todas as crenças que fazem muito DRF*3 entre todos os que possuem autoridade aqui, no Mundo Espiritual.

“Teremos sucesso se fizermos cumprir os Mandamentos Legionários da Boa Vontade.

“Dará tudo certo!”

O saudoso Irmão Zarur costumava afirmar que “a LBV é um compromisso que não cessa nem com a morte”.

A nossa morada espiritual é construída, tijolo a tijolo, pelas ações que praticamos — boas ou más. Vivamos de acordo com os preceitos de Amor Fraterno com os quais nos afinamos e alcançaremos a felicidade verdadeira na Terra e no Céu da Terra.

_________

*1 Os mortos não morrem! — Inspirado no Santo Evangelho-Apocalipse de Jesus, Paiva Netto pediu que gravassem nos portais da Sala Egípcia do Templo da Boa Vontade (TBV), nos mais diversos idiomas, inclusive em hieróglifos, este seu esclarecedor pensamento: “Os mortos não morrem!” — sendo o grande brado do TBV. A frase também é título de um de seus best-sellers, lançado em Brasília/DF, durante as comemorações dos 29 anos do monumento, em 20 de outubro de 2018. A primeira edição esgotou-se no mesmo dia. Nele, o autor une, a partir do exemplo de Jesus, a visão espiritualista a avançados estudos científicos, além do testemunho de inúmeras personalidades acerca do fenômeno chamado morte.

*2 Mensagem publicada no informativo Ímpar, 13a edição, julho de 2004.

*3 Departamento de Relações Fraternais (DRF) — Cuida do relacionamento institucional com autoridades, religiosos, personalidades e o povo em geral, levando a fraterníssima mensagem da Legião da Boa Vontade. Vale mencionar que a proposta para a criação desse espaço foi feita ao saudoso fundador da LBV, Alziro Zarur, pelo seu principal assessor, Paiva Netto, que mais tarde se tornaria o diretor-presidente da Instituição. Em 11 de janeiro de 1968, na Gazeta de Notícias, Zarur ressaltou o entusiasmo de Paiva Netto em implantar o Departamento de Relações Públicas da LBV, que viria a se chamar Departamento de Relações Fraternais.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.