Reflexão sobre o Dia dos Pais

Fonte: Jornal A Tribuna Regional, de Santo Ângelo/RS, edição de 11 e 12 de agosto de 2012, sábado e domingo.

Neste domingo comemoraremos o Dia dos Pais. Em 12 de agosto de 2000, no Rio de Janeiro/RJ, preparei uma mensagem que enderecei a eles, deste e do Mundo Invisível, pois os mortos não morrem. Selecionei alguns trechos para apresentá-los a vocês, caros leitores.

Arquivo BV

Alziro Zarur   

Ao observar o crescimento orgânico e estruturado da Legião da Boa Vontade, e tudo o que dela brotou, continua despontando e ainda surgirá do trabalho de Fé Realizante e Boa Vontade, nossa Alma se comove porque vemos progredir a semente lançada por Alziro Zarur (1914-1979), da qual estamos com extremo cuidado tratando, para que se desenvolva com a brandura e honre a grandeza das questões divinas.

Diante disso, percebemos a magnitude do Criador, o Pai de todos nós, e a comprovação de Sua onisciência, onipresença, onipotência, onidirigência e majestade.

Tela: Pompeo Batoni (1708–1787)

Mateus

Para o leal trabalhador da seara do Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, na Terra e no Plano Espiritual, são oferecidos raros momentos de repouso. Novas tarefas são anunciadas pela Espiritualidade Maior para os dedicados discípulos do Provedor Celeste, resultantes de decisões supremas relativas a sentenças decorrentes das ações humanas e espirituais, somadas e multiplicadas no transcorrer dos milênios. Não é sem motivo esta advertência do Excelso Taumaturgo, no Seu Evangelho, segundo Mateus, 16:27: “A cada um de acordo com as suas próprias obras”. Nada mais, nada menos.

Sinos poderosos, cujos toques nos chegam de regiões onde os horizontes não conhecem limites, persistem em proclamar os Tempos anunciados desde o Antigo Testamento da Bíblia Sagrada e nos respeitáveis textos de todas as crenças, destinados aos filhos do Altíssimo, criados para a fortuna inesgotável que de Deus provém.

Tela: Sátyro Marques (1935-2019)

Título da obra: A bênção.

Nossa missão — e a de muitos idealistas pelo mundo — é colaborar no direcionamento de tanta gente para as glórias do Sublime Reino que baixam a este orbe, profetizadas pelo Anjo ao soar da Sétima Trombeta: “O reino do mundo se tornou de nosso Deus e do Seu Cristo, e Ele reinará pelos séculos dos séculos. Amém” (Apocalipse, 11:15). Aqueles sinos plangem, pressagiando o fim de um tempo em que o egoísmo foi soberano e atraindo as matinas de uma era nova, em que o Espírito se sobreporá às convocações da excessiva materialidade. (...)

Louvado seja Deus!

 

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.