Nelson Mandela

Fonte: Jornal de Brasília, edição de 10 de dezembro de 2013, terça-feira. | Atualizado em julho de 2018.

Neste artigo, presto uma homenagem ao centenário do ilustre advogado e extraordinário líder político Nelson Rolihlahla Mandela, primeiro presidente negro da África do Sul, governando-a de 1994 a 1999. Ele destemidamente lutou contra o apartheid, desumano regime de segregação racial que, por tanto tempo, infelicitou o extremo sul do continente africano.

divulgação

Nelson Mandela

Mandela retornou, em 5 de dezembro de 2013, à Pátria Espiritual e, em 18 de julho de 2018, completaria 100 anos. Ser humano digno de admiração, foi Prêmio Nobel da Paz em 1993, tendo sido condecorado no Brasil, para honra nossa, em 1997, com a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, láurea concedida pelo ParlaMundi da LBV, em Brasília/DF.

Gilberto Bertolin

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, sua esposa, Graça Machel, e Enaildo Viana, representante do diretor-presidente da LBV, na solenidade em que Mandela foi homenageado com a Comenda do ParlaMundi, em 1997.

Hoje, Madiba, como era afetuosamente chamado, segue o seu ativismo pela causa da liberdade, agora, na condição de Espírito Eterno.

Lembro-me de reportagem de uma equipe do SBT que acompanhou uma aula no Conjunto Educacional Boa Vontade, em São Paulo/SP, sobre a importância de Mandela para a democracia e a Paz.

O respeito às diversas culturas e a vivência fraterna e ecumênica que diariamente despertamos nas crianças ficam demonstrados neste depoimento da aluna Lara Vitória, então com 8 anos: “Nós aprendemos desde pequeninos na escola que somos todos iguais e não importa se somos negros, brancos, de outras religiões. O que importa é o Amor que temos uns pelos outros”.

Vivian R. Ferreira

Alunos participam de atividade recreativa no pátio do Conjunto Educacional Boa Vontade na capital paulista.

Pedagogia pela Paz

“A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.” É um trecho do Artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que completará, em 10 de dezembro, 70 anos.

LGW staff

Irmanada a esse preceito, em 4 de junho de 2018, na Oliver Street School, em Newark/Nova Jersey, ocorreu bela cerimônia de conclusão do programa Estudantes de Boa Vontade pela Paz, desenvolvido pela LBV dos Estados Unidos nos colégios norte-americanos, por meio da Educação com Espiritualidade Ecumênica.

De forma dinâmica e entusiasmada, 367 alunos entre 5 e 10 anos participaram da solenidade. A iniciativa visa incentivar a liderança solidária entre os educandos e favorecer um ambiente escolar livre de violência.

Ao longo de dez meses, em parceria, educadores da LBV e professores do local orientaram crianças e adolescentes sobre o tema “Esporte é Vida, não violência! Juntos fazemos um gol pela Paz!”. O programa teve como objetivo a valorização das diferenças culturais existentes no planeta com a exposição intitulada “Viagem ao Mundo”. Os alunos foram os protagonistas dessa ação, transformando cada classe em uma “embaixada” de forma que conhecessem um pouco da cultura de algumas nações, sendo elas a Argentina, o Brasil, o Equador, a França, a Itália e a Rússia. Os educadores atuaram apenas como mediadores nessa atividade, enquanto que as próprias crianças promoviam o aprendizado sobre cada país.

O embasamento desse esforço dos educadores vem das etapas do MAPREI (Método de Aprendizagem por Pesquisa Racional, Emocional e Intuitiva) — a metodologia de aplicação da Pedagogia do Afeto (para crianças de até 10 anos) e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico (a partir de 11 anos), que trabalhamos nas escolas da LBV no Brasil.

Nos Estados Unidos, como em muitos outros países, o problema da violência nas escolas é preocupante. E, segundo me informa o representante da LBV na ONU, Danilo Parmegiani, nossa Pedagogia, com a sua Cultura de Paz, tem obtido relevantes resultados em terras norte-americanas, pois todos percebem os benefícios de conciliar o currículo formal com a experiência da Boa Vontade em ação.

É Urgente Reeducar! (2010) – Autor nacional mais vendido da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, Brasil, em 2010. Adquira!

A notícia nos mostra o alcance da Espiritualidade Ecumênica entre os estudantes. Em É Urgente Reeducar! (2010), ressalto que ela é o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Misericórdia, da Generosidade, da Moral, da Ética, da Honestidade, do Amor Fraterno.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.