Vencer com Jesus o Armagedom!

Fonte: Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!, edição 131, de abril de 2018. | Atualizado em julho de 2018.

Minhas Irmãs e meus Amigos, minhas Amigas e meus Irmãos, é um prazer imenso estar aqui com vocês para falar sobre o Divino Poder do Pai Celestial, porque a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo é essa sublime autoridade em marcha, cujo propósito não é atemorizar ninguém nem conflitar com qualquer outra louvável tradição religiosa. Pelo contrário. Sua função primordial é servir, firmada nos Quatro Pilares do Ecumenismo, aos povos da Terra.

Os Quatro Pilares do Ecumenismo*1

Ecumenismo Irrestrito;

Ecumenismo Total;

Ecumenismo dos Corações; e

Ecumenismo Divino.

No primeiro volume das Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo (1987), discorremos amplamente sobre esses fundamentos doutrinários.

Jesus — Divino Medicamento diário

O meu muito obrigado aos Cristãos do Novo Mandamento do Celeste Educador, os Amigos de Jesus, por todas as carinhosas manifestações, por meio de cartazes, e-mails, cartas, músicas, vídeos, saudando os meus 77 anos de vida. Há várias delas aí! É bom ver o entusiasmo de todos vocês. Trabalhando pelo Cristo, só temos motivos para estar felizes. Nessas horas de profunda alegria e de progresso espiritual pujante, o maior prêmio, o melhor presente de aniversário que eu poderia desejar é vê-los e sentir essa ambiência de Fé Realizante no Cristo, como neste momento ocorre.

Jesus é o meu Divino Medicamento diário. É Ele quem me dá forças para avançar sempre, sempre e sempre!

Todos: (aplausos!)

Receita de sucesso: Fé inabalável no Cristo

É aquilo que já lhes contei: muitas personalidades influentes deste país me perguntam como consigo ir adiante com essas imensas Obras de Boa Vontade. Constantemente recomendo a todos: Fé em Jesus! Fé em Jesus! Fé em Jesus!

Estou me referindo à Fé Realizante que nos une; à Fé aliada às Boas Obras; à Fé que nos leva ao desenvolvimento espiritual e material; à Fé que nos impulsiona; à Fé que nos alimenta; à Fé que nos anima o coração e a Alma.

Zarur e “A Fórmula Urgentíssima de Jesus”

Disse o Cristo, ao que o Irmão Zarur chamou de “A Fórmula Urgentíssima de Jesus”: “Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as coisas materiais vos serão acrescentadas” (Evangelho do Divino Mestre, segundo Mateus, 6:33).

A Fórmula Urgentíssima Econômica do Cristo

Acerca de tão importante Lei da Economia Celeste, escrevi em Tesouros da Alma (2017):

Quando nos dispusermos a meditar sobre essa Fórmula Urgentíssima Econômica do Cristo, estaremos nos integrando na Competência de Deus, criaturas Dele que somos. Tudo o que se relaciona com produção e distribuição equânime de renda está nessa “Fórmula Urgentíssima de Jesus”. (…)

*   *   *

A guerra nos bastidores das nações

Se estivermos em permanente contato com os bons Espíritos, tudo se tornará feliz à nossa volta. É isso que justifica essas minhas décadas no trabalho das Santas Casas de Deus, as Instituições da Boa Vontade*2. E o compromisso espiritual traçado no Plano Invisível é tão forte, tão antigo, que o Poder Superior logo me aproximou do saudoso Irmão Alziro Zarur (1914-1979), fundador dessa Divina Seara. Eu tinha apenas 15 anos de idade.

Guardemos esse espírito de paz, de felicidade, porque as coisas na Terra ficarão muito ruins. Os Espíritos de Luz estão nos alertando insistentemente sobre o desenrolar dos fatos, e temos publicado suas advertências*3 na gloriosa revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!

Um bom exemplo está nas palavras do Dr. Bezerra de Menezes (Espírito), proferidas em 24 de fevereiro de 2018, por intermédio do Sensitivo Cristão do Novo Mandamento de Jesus Chico Periotto: “Vivemos momentos dramáticos na história da Humanidade: Há aparência de paz; porém, a guerra vem sendo construída nos bastidores. Todos estão absolutamente alertados”.

Vocês repararam que há anúncios de armamentos poderosíssimos, além de inúmeras ameaças de guerra comercial, cibernética...? As notícias indicam que estamos diante de uma nova corrida armamentista sem precedentes. Os homens demonstram que não almejam verdadeiramente a Paz e vão, em silêncio, se armando até os dentes.

Por Jesus, vamos vencer o Armagedom!

Lembrem-se sempre daquela assertiva do Irmão Zarur que o Dr. Bezerra de Menezes, nosso querido amigo e médico do Mundo da Verdade, repete de vez em quando: “Nenhum Legionário de Deus será apanhado de surpresa! Nenhum Cristão do Novo Mandamento de Jesus, da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo será apanhado de surpresa!”.

Isso porque todos estão sendo fartamente avisados. E é com esse espírito que nos move que “tiraremos” o Armagedom “de letra”, como dizem os futebolistas! Por isso, os meus cuidados com vocês. Quero-os todos na carne para poder enfrentar comigo a Grande Tribulação e o terrível Armagedom! E vencer com Jesus! Vencer, vencer e vencer! Aliás, na Ave, Maria! que dediquei ao povo de Minas Gerais, eu os convido a isso:

Maria e a LBV, o seu Sagrado Manto

Santa Maria,

Com teu manto cobrirás

De muita Paz,

De muito Amor,

Minas Gerais!

 

Manto Sagrado,

Que é a LBV:

Divino Amor,

Que Zarur veio nos trazer!

 

Espalharás, por toda a parte,

A tua Luz.

Então, teremos tua Paz nos corações:

Nos livrarás de todas as tribulações!

E, por Jesus, vamos vencer o Armagedom!

(...)

E, com Jesus, vamos vencer o Armagedom!

Com Jesus! Com Jesus! Com Jesus!

*   *   *

Adendo I

Armagedom: O Sexto Flagelo

 (Apocalipse de Jesus, 16:12 a 16)

 12 Derramou o sexto Anjo a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram para que se preparasse o caminho dos reis que vêm do lado do nascimento do sol.

13 Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs;

14 porque estes são espíritos de demônios, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro, com o fim de ajuntá-los para a peleja do grande dia do Deus Todo-Poderoso.

15 (Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para não andar nu e não se veja a sua vergonha.)

16 E os ajuntou num lugar que em hebraico se chama Armagedom.

Em minha obra Somos todos Profetas (1991), no subtítulo “Terceira Guerra Mundial”, escrevi:

É a guerra, no dizer de Zarur, “total e final”, que, esperamos, nunca aconteça! Entretanto, se houver, nação nenhuma ficará neutra. Agora mesmo, como está o mundo, com a queda das fronteiras, não mais existem países livres dos Armagedons da expansão das drogas, da violência, do desfazimento de famílias, e por aí vai (...).

Se o próximo e último Armagedom ocorrer, obviamente afetará o planeta inteiro. Ninguém ficará incólume. Será o fim desta civilização incivilizada. Que outro nome vocês sugerem para ela?!

No Apocalipse, Deus não está cruelmente punindo os povos, como pretendem certos açodados. O Armagedom é simplesmente a precisa vindima de uma sementeira irresponsável.

(...) Nas prédicas que realizei da série “O Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração”, no capítulo “A Política da Caridade Completa”, a certa altura assim me manifestei:

O Apocalipse não amaldiçoa o mundo. Seu fecho é uma bênção: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós para todo o sempre. Amém.” (Apocalipse, 22:21).

E, no capítulo 21, encontramos “a Nova Jerusalém, o novo Céu, a nova Terra”, depois de uma transformação jamais vista, semeada pela própria Humanidade, como tenho frisado exaustivamente. Não se trata de castigo de Deus; porém, da colheita obrigatória de uma semeadura que foi livre.

*   *   *

“Esses acontecimentos não nos pegarão desprevenidos (…)”

O saudoso Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, Alziro Zarur, numa histórica pregação da década de 1950, afirmou: “Não adianta combater efeitos. O indispensável é eliminar a causa que gera esses efeitos que desgraçam o Brasil. E já estamos preparando o Brasil para enfrentar os fatos terríveis, apocalípticos, que vêm de fora para dentro e de cima para baixo. Esses acontecimentos não nos pegarão desprevenidos (...)”.

Todos: (aplausos!)

Vocês prestaram atenção ao que ele disse?

“Esses acontecimentos não nos pegarão desprevenidos (...).”

Numa reunião na cozinha da casa do Dr. Humberto Leite de Araújo (1902-1984), quantas coisas o saudoso fundador da LBV revelou acerca desses acontecimentos! Eu tinha 18, 19 anos. Mas, um dia, poderei contá-las a vocês. De muitas delas já vimos tratando, a fim de que estejam aptas ou aptos a suplantar as dores que virão sobre a Terra, em razão da recalcitrante maldade humana.

Quando o Irmão Zarur, numa madrugada memorável de agosto de 1962 — dirigindo-se a mim, ao veterano Legionário da Boa Vontade de Deus Dr. Mario da Cruz (1925-2012) e a outros Irmãos Legionários que também se encontram na Pátria Espiritual —, começou a discorrer sobre esses assuntos apocalípticos, ele admoestava para que estivéssemos atentos ao Livro das Profecias Finais, o Apocalipse. E assim vaticinou: “Eu vim preparando o povo dizendo que o Brasil estaria a salvo daqueles acontecimentos e seria apenas chamuscado. Hoje já digo que o Brasil vai receber impactos diretos dos acontecimentos. E amanhã revelarei muito mais”.

De minha parte, vou escrevendo livros, artigos, revistas, para que ninguém fique sem aviso. Os que se mantiverem como atalaias, sentinelas, saberão proteger-se. Observem o exemplo dos Cristãos da antiguidade quando da queda de Jerusalém, prevista por Jesus: “Não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada” (Boa Nova, consoante Marcos, 13:2).

Todavia, como destaco no terceiro volume de O Brasil e o Apocalipse (1996), Jesus deixou um sinal aos Seus seguidores naquele tempo para que saíssem da Cidade Santa antes que o príncipe Tito (filho de Vespasiano, imperador de Roma, que, mais tarde, o sucederia) arrasasse a notável capital dos judeus.

*   *   *

Adendo II

O sinal para os fiéis

Transcreverei agora o texto do livro O Brasil e o Apocalipse, volume 3, que mencionei anteriormente.

Haviam os discípulos de Jesus pedido um sinal, e Ele lhes deu um pelo qual pudessem saber exatamente a época para fugir de Jerusalém. O Evangelho do Cristo, segundo Lucas, 21:20 a 22, fornece ao leitor uma referência completa: “Porém, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei, então, que é chegada a sua hora. Nessa época, os que estiverem na Judeia fujam para os montes; e os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que se encontrarem nos campos, não entrem nela. Porque esses são dias de vingança para que se cumpram todas as coisas que estão escritas”.

Ora, tanto em Jerusalém como na Judeia, muitos não podiam conceber que sua cidade, há tanto tempo protegida por Deus, viesse a ser destruída. Nem mesmo o terror imposto pelas hostes de Vespasiano e Tito poderia abalar sua cega confiança em si mesmos. Mas o que se deu com os cristãos que guardavam as palavras de Jesus? À primeira vista dos exércitos romanos em volta de Jerusalém, os Seguidores do Caminho (como também eram conhecidos os cristãos primitivos) compreenderam haver chegado o tempo anunciado pelo Cristo como o reservado para a fuga.

No entanto, havia uma questão a se resolver: como fugir? A cidade estava cercada. Ademais, os zelotes*4, partido de valentes guerreiros judeus, sempre em atividade, por nada consentiriam que os cristãos saíssem da cidade sitiada. E foi exatamente naquele instante que o Poder de Deus ofereceu aos fiéis uma forma para se livrarem do massacre que viria: Cestius [quem conta isso é Flávio Josefo (38-100), historiador judeu daquele tempo], o comandante romano, depois de ter minado em parte um dos muros do templo, decidiu subitamente suspender o ataque. Retirou-se da cidade, sem que houvesse absolutamente nenhuma razão para isso”.

Os zelotes precipitaram-se, após os romanos saírem em retirada, atacando furiosamente a retaguarda das tropas de Roma.

Então, os seguidores do Cristo, vigilantes quanto ao anúncio que Nosso Senhor fizera, há cerca de quarenta anos, viram surgir diante de si a oportunidade para a rápida saída, segundo a profecia Dele, escapando dali e da região circunvizinha.

Eles estavam atentos à profecia do Divino Mestre, não se comportaram como aquelas virgens levianas — da “Parábola das dez virgens” (Boa Nova de Jesus, consoante Mateus, 25:1 a 13) —, que não encheram de azeite as suas lâmpadas e que, quando o noivo chegou, não tinham luz para entrar na casa com ele.

Aqueles cristãos, alertas ao prenúncio de Jesus, “Orai e vigiai para que a vossa fuga não aconteça no inverno, nem em dia de sábado” (Evangelho, segundo Mateus, 24:20), oraram e vigiaram, isto é, oraram e trabalharam, naquele tempo que lhes fora concedido antes da invasão dos romanos, na divulgação da doutrina de Cristo Jesus. A súplica deles foi atendida, pois foi no outono, e não no inverno, e num dia de semana*5 que a fuga se deu. Eles, portanto, atalaias que eram, observaram os sinais e obedeceram instantaneamente à exortação do Divino Mestre. Puderam, assim, livrar-se do massacre das tropas de Tito. Dessa forma, Cristãos do Novo Mandamento e todos os seres de Boa Vontade que me honram com a sua leitura, devemos permanecer vigilantes aos sinais do Amigo Celeste nos tempos correntes a fim de que possamos livrar-nos das coisas que sobrevirão ao planeta Terra neste final de ciclo apocalíptico e achar-nos prontos para permanecer de pé diante do Filho de Deus, Jesus, na Sua hora na Volta Triunfal.

*   *   *

Ouviram bem? É só guardar Jesus dentro da Alma, e tudo transcorrerá na exatidão desejada pelos Céus! Vejam: tenho autoridade para dizer isso. Afinal de contas, estou há praticamente 62 anos nesta luta diária da Legião da Boa Vontade e de tudo o que nasceu do seu ventre abençoado, sagrado ventre. São 62 anos, dos quais 39 à frente da LBV — e até quando Jesus quiser!

Numa dessas madrugadas, após mais uma jornada de trabalho apostolar na Seara da Boa Vontade de Deus, anotei no meu risque-rabisque:

O dia amanhece, e encontro-me realmente fatigado. (Mas depois recuperei tudo. Estão vendo aqui, não é? [risos]). Porém, a paixão pela LBV me alimenta. Que vocês também sejam assim, para que todos mereçamos o Amor do Mestre Jesus! É a única paixão que não consome o ser humano. A única! A minha Fé no Cristo de Deus nunca esmorece!

*   *   *

Aliás, gostaria de agradecer a bela homenagem que recebi de meu filho Alziro de Paiva. Ele escreve: “O papai é a demonstração inequívoca da força da Fé Realizante e da Oração. Sou testemunha disso. Todas as batalhas foram vencidas, porque a estratégia é orar e agir!”

Todos: (aplausos)!

Vencer firmado no Cristo e com o coração feliz!

Já que estamos tratando da superação de gigantescos desafios em nossa caminhada — e o Armagedom podemos incluir no rol dos maiores —, trouxeram-me aqui, do primeiro volume das Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo (1987), “A Vitória da Vida”. Sempre apreciei muito esse poema, do saudoso jornalista Bastos Tigre (1882-1957), e levava-o muito a sério quando o Irmão Zarur ou o próprio autor o declamava. Encontra-se transcrito na Antologia da Boa Vontade (1955):

A Vitória da Vida

Pobre de ti se pensas ser vencido!

Tua derrota é caso decidido.

Queres vencer, mas, como em ti não crês,

Tua descrença esmaga-te de vez.

Se imaginas perder, perdido estás.

Quem não confia em si, marcha pra trás;

A força que te impele para a frente

É a decisão firmada em tua mente.

 

Muita empresa esboroa-se em fracasso

Inda muito antes do primeiro passo;

Muito covarde tem capitulado

Antes de haver a luta começado;

Pensa em grande, e os teus feitos crescerão;

Pensa em pequeno, e irás depressa ao chão.

O querer é o poder arquipotente.

É a decisão firmada em tua mente.

 

Fraco é aquele que fraco se imagina;

Olha ao alto o que ao alto se destina;

A confiança em si mesmo é a trajetória

Que leva aos altos cimos da Vitória.

Nem sempre o que mais corre a meta alcança,

Nem mais longe o mais forte o disco lança,

Mas o que, certo em si, vai firme e em frente,

Com a decisão firmada em sua mente...

Todos: (aplausos)!

Vejam que interessante: neste bate-papo com vocês, estou convidando-os a vencer o Armagedom com os pensamentos, as palavras e as ações firmados no Cristo e com o coração feliz. E na continuação à leitura do poema de Bastos Tigre, nas Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, volume 1 (1987), prossigo justamente dizendo o seguinte:

Torne-se um vencedor

Para terminar, este trecho do livro Jesus, Zarur, Kardec e Roustaing, na Quarta Revelação (1984):

Os Legionários da Boa Vontade de Deus vencerão desafios cada vez maiores. Contudo, quanto mais difíceis para os chamados homens práticos, mais fáceis serão para os que depositarem toda a sua Fé Realizante Naquele que é o responsável pela existência do planeta: Cristo Jesus!

Inspire-se no exemplo dos Cristãos do Novo Mandamento, torne-se um vencedor.

“A quem é que nós vamos temer?”

Cantam, nos Poemas da Era Atômica (1949), de Alziro Zarur, os Legionários da Boa Vontade de Deus:

Marcharemos no Sul e no Norte...

Ninguém pode esta marcha deter!

Pois, se nós não tememos a morte,

A quem é que nós vamos temer?

Tornou-se tradição popular responder a essa pergunta bradando: “Ninguém! Jamais!”

Preparação para a prece

Bem, minhas Irmãs e meus Amigos, minhas Amigas e meus Irmãos, todos os fatos, todas as vibrações agora estão nos levando na direção do Cristo para que façamos a nossa prece.

Antes de tudo, Ele. Adiante de todos os fatos, Ele. Ele quem? Jesus, nosso Senhor, que nos deixou o Pai-Nosso. É a oração que faço várias vezes por dia. De noite, ao me deitar, e onde quer que eu me encontre, estou sempre orando o Pai-Nosso. A treva nos ataca? Respondo com a Oração Ecumênica do Cristo. Os problemas surgem no caminho? Eu oro ainda mais intensamente, porque foi a súplica que Jesus deixou para nós. Logo, não há nenhuma invocação mais poderosa do que ela. Convido a todos vocês a entoá-la comigo, orando e vigiando (Evangelho do Cristo, segundo  Mateus, 26:41).

A prece revigora a nossa vigilância e nos impulsiona ao trabalho. Dela vem toda a nossa fortaleza.

Jesus nos fez abrir na página 195 de meu livro Tesouros da Alma (2017), na versão tradicional, que também está sendo lançado, pela Editorial Dunken, em espanhol, na Feria Internacional del Libro de Buenos Aires*6, apenas quatro meses depois de impressa a versão em português (Editora Elevação). É o nosso empenho para que essa inesgotável fonte de energia que vem do Mestre dos mestres, Jesus, esteja presente nos lares do mundo inteiro. Vamos à leitura:

Um ensinamento do Divino Ativista do Bem

Diante dos fatos mundiais, não somente telúricos, sempre vale a pena estudar as palavras de Jesus, o Divino Ativista do Bem, sobre o verdadeiro espírito de Solidariedade em Seu Evangelho, segundo Mateus, 25:31 a 46:

Juízo Final

31 Quando voltar o Filho de Deus na Sua majestade, e todos os Anjos com Ele, então sentará no trono da Sua glória.

32 Todas as nações serão reunidas na Sua presença, para Ele separar uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas:

33 porá as ovelhas à Sua direita, mas os cabritos, à esquerda.

 (Naturalmente, não se trata de esquerda ou direita política.)

34 Então, dirá o Rei aos que estiverem à Sua direita: — Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a criação do mundo.

35 Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes;

36 estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e me fostes ver.

37 Então, os justos hão de perguntar: — Senhor, quando foi que Te vimos com fome e Te demos de comer? Ou com sede e Te demos de beber?

38 E quando Te vimos forasteiro e Te hospedamos? Ou nu e Te vestimos?

39 E quando Te vimos enfermo ou preso e Te fomos visitar?

40 O Rei, respondendo, lhes dirá: — Em verdade, em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos Irmãos, vós o fizestes a mim mesmo.

41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à Sua esquerda: — Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para satanás e seus anjos!

Aqui, abro parênteses para uma explicação necessária acerca desse “fogo eterno”. Conforme esclareço em A Missão dos Setenta e o “lobo invisível”, não se trata do inferno perpétuo que um “deus” — como designava Zarur, no seu magnífico “Poema do Deus Divino”, “mais vingativo que um homem mau” — “criou” para punir os que erram.

Jesus conforta os que caíram em erro, mas que desejam verdadeiramente se corrigir: “Não vim para os sãos, mas para, em nome do Pai Celestial, curar os enfermos” (Evangelho, segundo Marcos, 2:17).

Então, como é que Ele vai lançar, para todo o sempre, doentes ao Érebo*7? Mais cedo ou mais tarde, por efeito das vidas sucessivas, a consciência de quem comete delitos acusará os faltosos. Ela, a consciência, mais dia, menos dia, cobrará, de forma implacável, o ser vivente.

— Todavia, há pessoas que não têm consciência...

Isso é o que alguns equivocadamente acham. Quando menos se aperceber, o arrependimento falará mais alto no coração dos errantes, e eles, por intermédio de muitas reencarnações, começarão a se redimir.

A Lei Universal da Reencarnação é muito mais caridosa, portanto, do que a do inferno eterno. No Antigo Testamento, pela boca do Profeta Ezequiel, 33:11, Deus afirma que não deseja a perdição dos pecadores, e, sim, que eles se salvem. E o Profeta Oseias, 6:6, transmite esta assertiva de Deus: “Misericórdia quero, e não holocausto (...).

Bem, mas prosseguindo com a leitura do Evangelho, segundo Mateus, 25:31 a 46:

42 Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;

43 sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; enfermo e preso, e não me fostes visitar.

44 E eles Lhe perguntarão: — Senhor, quando foi que Te vimos com fome, e com sede, e forasteiro, e nu, e enfermo ou preso e não Te assistimos?

45 Então, o Rei lhes dirá: — Em verdade, em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes pequeninos, a mim mesmo é que o deixastes de fazer.

46 E irão estes para o castigo eterno, mas os justos para a Vida Eterna.

Que extraordinária lição de Fraternidade, de Solidariedade, de Compaixão e de Generosidade, a ser com persistência seguida, não apenas nas horas de dor pungente; porém, por todo o percurso da vida particular e em sociedade! Situa-se entre os mais altos graus da Política verdadeira: a de Deus, do Cristo e do Espírito Santo.

Maria, generosa Mãe da Humanidade!

Que ventura é servir a Jesus! Se todos os compromissados com a Sublime Causa do Cristo houverem brilhado na Terra, testemunhando o Seu nome, as Suas obras, receberão Dele o Seu testemunho. E nós teremos a Glória do Divino Senhor, que é a Supina Glória que o mundo inteiro não nos pode oferecer, mas que o coração Dele e o de Maria Santíssima possuem sobejamente e nos ofertam a todo instante.

Nesta oportunidade, queremos agradecer ao nobre Dr. Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti (Espírito) o que tem feito, com grande sacrifício, por todos nós. Somos-lhe gratos. Gratos, gratos, gratos, Dr. Bezerra de Menezes e sua extraordinária Equipe!

Muito obrigado, Irmão Alziro Zarur (1914-1979), por ter tido a coragem de abrir, num mundo tão adverso, a Sacrossanta, Sacratíssima Legião da Boa Vontade!

Maria Santíssima, Mãe de Jesus, nossa divina Mãe, cada um de nós tem um pedido a te fazer. E suplicamos, Mãe adorada, que sejas a mediadora entre a nossa pequenez e a grandeza do teu Filho: “o Caminho, a Verdade e a Vida” (Evangelho do Cristo, consoante João, 14:6), Jesus, que, no dizer do nosso excelente André Luiz (Espírito), “caminha na vanguarda do nosso movimento”. E é por isso que a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo segue firme nesse propósito celeste.

Agora, Maria Santíssima, protetora suprema desta Casa Divina, cada um destes teus seguidores, trabalhadores desta Seara Bendita, dedicados, perseverantes, guarda um pedido do fundo do coração para fazer-te. Atende, Mãe, a estes pedidos!

(Momento de súplica)

Gratos, Maria Santíssima, Mãe Universal da Humanidade, generosa Mãe da Cristandade! O teu Filho, Jesus, deu-nos todo o reforço, toda a força de que precisamos. Faze descer sobre todos esses heróis batalhadores, os que administram estas Divinas Instituições e todos aqueles que trabalham nelas, além dos que contribuem para a sobrevivência material destas Casas da Boa Vontade de Deus, o teu Manto de Luz!

A Prece

Ó Jesus, Compassivo Filho de Maria, cuja misericórdia nos sustenta, uma vez mais todos nós, de coração puro, vamos proferir o Teu Pai-Nosso, a Tua Prece Ecumênica, constante do Teu Evangelho, segundo Mateus, 6:9 a 13. É a oração que deixaste para as criaturas de Boa Vontade. Pequena, mas poderosa, pois conheces muito bem a pressa humana. Ninguém poderá dizer que não repetiu do fundo da Alma a Tua oração porque era muito longa. Infelizmente, os seres humanos (ainda) dedicam pouco tempo a Ti, ao Pai, ao Espírito Santo, e muito tempo a perder-se pelos caminhos tortuosos do pecado, isto é, do erro oriundo da ignorância espiritual.

Vamos, então, elevar o nosso pensamento a Deus:

Pai-Nosso

Pai Nosso, que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome.

Venha a nós o Vosso Reino.

Seja feita a Vossa Vontade, assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia dai-nos hoje.

Perdoai as nossas dívidas, assim como nós perdoarmos aos nossos devedores. 

E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, porque Vosso é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre.

Amém!

Dá-nos, Jesus, a Divina Paz, que prometeste àqueles que vivem o Teu Novo Mandamento, no Brasil e no exterior, honrando o compromisso Contigo, não somente nesta vida, mas pelos milênios.

Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo. Eu vos dou a Paz de Deus que o mundo não vos pode dar. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie. Porque Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo!” (Evangelho, segundo João, 14:27 e 1; e Mateus, 28:20.)

“Glória a Deus nas Alturas, Paz na Terra aos Homens [e Mulheres, Jovens, Crianças e Espíritos, Almas Benditas] da Boa Vontade de Deus!”

Quero encerrar esta reunião com este belíssimo soneto de Alziro Zarur, constante de Poemas da Era Atômica (1949):

A Igreja de Deus

“Bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas: porque o tempo está próximo.” Apocalipse, I:3.

Igreja do Senhor, o fim dos tempos vem,

E o Cristo, muito breve, em glória descerá:

A trombeta de Deus no mundo soará,

Que o Juízo Final é próximo, também!

 

Sobre esta vã Gomorra, e sobre o que contém,

Nesse dia de horror a maldição virá;

Na confusão sem fim, Sodoma baqueará

Ouvindo a tua voz, que do Senhor provém!

 

Das trevas arrancaste imensas multidões,

E contra esse negrume, em límpidas ações,

Tua obra secular é fogo em resplendor!

 

Igreja-Mãe ideal de todas as igrejas,

Que no inferno do mundo, impávida, pelejas,

Igreja de Jesus — serei teu defensor!

Todos: (aplausos)!

Um viva às Gerações Legionárias da Boa Vontade de Deus que estão na Terra desde pequenininhas e às que se preparam para descer a este mundo a fim de dar continuidade à Divina Obra da Boa Vontade.

Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho.

Quanto mais perto de Jesus, mais longe dos problemas!

Se nos esquecermos de Jesus, qualquer coisa que pensarmos, dissermos ou fizermos será perda de tempo!

Servir a Jesus não é sacrifício. É privilégio!

Deus Está Presente!

Todos: Viva Jesus em nossos corações para sempre!  (aplausos! aplausos! aplausos!)

_______________

*1 Os Quatro Pilares do Ecumenismo — As expressões “Ecumenismo Irrestrito” e “Ecumenismo Total” são criações de Alziro Zarur (1914-1979), explicitadas por Paiva Netto. “Ecumenismo dos Corações” e “Ecumenismo Divino” são definições de Paiva Netto e por ele elucidadas.

*2 Instituições da Boa Vontade (IBVs) — Formadas pela Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo; pela Legião da Boa Vontade (LBV); pela Fundação José de Paiva Netto; pela Fundação Boa Vontade; e pela Associação Educacional Boa Vontade.

*3 “(...) temos publicado suas advertências” — Leia, nas diversas edições de JESUS ESTÁ CHEGANDO!, as seções “Voltamos! — A Revolução Mundial dos Espíritos de Luz” e “Salve, Jesus!”

*4 Seita e partido político judaico do século I que procurava incitar o povo da Judeia, à época do imperador Vespasiano (9-79), a rebelar-se contra o Império Romano e desencadeou a primeira guerra judaico-romana (66-70).

*5 Fuga num dia de semana — Se a fuga fosse num sábado, tudo o mais seria dificultado, por causa da tradição judaica do Sabá, nome dado ao dia de descanso semanal no Judaísmo, simbolizando o sétimo dia no livro de Gênesis, após os seis dias da Criação.

*6 Feria Internacional del Libro de Buenos AiresNeste ano de 2018, a Feira Internacional do Livro de Buenos Aires ocorrerá de 26 de abril a 14 de maio, no Centro de Feiras e Exposições La Rural. Em sua 44a edição, é uma das cinco maiores feiras de livro do mundo. Nesse importante evento cultural e editorial da América Latina, a Editora Elevação, em parceria com a Editorial Dunken, lançou em anos anteriores — tendo alcançado enorme sucesso — as obras Reflexiones del Alma (2016) [Reflexões da Alma], Como Vencer el Sufrimiento (2017) [Como Vencer o Sofrimento] e agora Tesoros del Alma (2018) [Tesouros da Alma]. O autor Paiva Netto já atingiu a marca de mais de 7,5 milhões de livros vendidos. A Editorial Dunken estará no Pavilhão Verde, estande 1122.

*7  Érebo — Na mitologia grega, Erebus (ou, ainda, Erebos), filho de Caos, era a personificação das trevas.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".