Verão, diversão e segurança

Fonte: Jornal de Brasília, edição de 11 de janeiro de 2011, terça-feira | Atualizado em dezembro de 2016.

Sol, praia, campo e natureza, férias em família. No Hemisfério Sul, o verão é uma das estações mais aguardadas do ano, tempo para se divertir e recarregar as energias, amenizar o estresse da vida moderna, a fim de poder enfrentar e vencer os desafios de mais uma etapa que se inicia.

Shutterstock

Contudo, nem sempre o enredo dessa história tem final feliz. Essa época registra, igualmente, altos índices de afogamentos, mortes nas estradas, violência, tendo como pano de fundo o álcool, as drogas e um dos piores dramas que uma família pode vivenciar: o desaparecimento de um ente querido, em especial, de crianças.

Divulgação

Rui Silva

Em entrevista ao programa Vida Plena, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canal 196), o senhor Rui Silva, representante do projeto “Anjos do Verão”, de São Paulo/SP, trouxe importantes orientações sobre os cuidados com a segurança de nossas crianças e de nossos jovens nesse período em que as famílias saem para passear.

Segundo dados da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, aproximadamente 10 mil ocorrências de desaparecimento de crianças e adolescentes são registradas anualmente em delegacias de todo o país.

Infelizmente, essa situação é mais corriqueira do que se imagina, “principalmente em locais de grande aglomeração. As pessoas vão para uma praia achando que estão num shopping center ou supermercado, que possuem a mesma porta de entrada e saída. Na praia isso não acontece, pois há variantes como multidão, barracas, pessoas, vendedores, a própria maré; isso tudo faz com que os movimentos das pessoas sejam extremamente aleatórios”, afirma Rui Silva.

Para os que não vivenciaram a dor do desaparecimento de um filho, neto, primo ou mesmo um amigo, sempre fica a desconfiança de que tenha havido distração por parte dos familiares. Para Rui, que já teve um filho que se perdeu na praia e hoje ajuda o pai voluntariamente, “não se trata de descaso e desleixo, como a maioria das pessoas pensa. Várias situações acontecem de, muitas vezes, alguns metros no meio da multidão se transformarem em 12 quilômetros de distância”.

Dicas de segurança

Durante o programa, o representante do projeto “Anjos do Verão” deu algumas dicas de segurança para as férias: “Para qualquer lugar do Brasil que você se dirija, oriento que ligue ou mande um e-mail avisando aos familiares que chegou ao seu destino. Se for curtir a praia, chegue com calma, sem correrias, se apercebendo de tudo à sua volta. Saiba onde estacionou o carro, anote o endereço da rua. Procure saber, anotar o nome do quiosque, barzinho, carrinhos de lanches maiores que são fixos. Isso é importante para o pai, para a mãe, inclusive para os próprios adultos não se perderem”.

shutterstock

Além de todas essas precauções, Rui Silva ressalta: “Em primeiro lugar é preciso confiar em Deus que o seu ente querido será reencontrado, que é um desaparecimento momentâneo, pode demorar alguns minutos ou algumas horas. Segundo, comunicar ao maior número de pessoas possível: polícia, bombeiros, comerciantes da praia, do shopping center, parques e eventos. Procure organizações ou um lugar que tenha um som para que a divulgação seja benfeita”.

Utilidade Pública

Para informar, denunciar e colaborar na busca de crianças desaparecidas, você pode acessar alguns dos sites dos órgãos governamentais de seu Estado. O site do Ministério da Justiça é http://portal.mj.gov.br/Desaparecidos/. Em São Paulo você pode clicar www.policia-civ.sp.gov.br. Já no Rio de Janeiro, o endereço eletrônico é www.fia.rj.gov.br. Minas Gerais disponibiliza a página www.desaparecidos.mg.gov.br. No Estado do Rio Grande do Sul, você pode acessar www.desaparecidos.rs.gov.br/. Em Goiânia, www.goiania.go.gov.br/html/sosdesaparecidas/sos.htm

O número nacional para informações sobre crianças desaparecidas é o Disque 100.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.