Restauração da Unidade Cristã

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro “Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo”, volume 1. | Atualizada em novembro de 2021.

Vivemos em tempos de profundas transformações em todo o orbe. As barreiras — que separam os homens — cairão de vez. Acima de todos os ismos, permanecerá o ismo de Deus: o Cristianismo do Cristo, a Caridade Suprema.

O Apocalipse de Jesus é, na atualidade, o mais importante livro da Bíblia Sagrada.

O Cristianismo do Novo Mandamento de Jesus — “(...) Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo Amor uns pelos outros” (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35) — foi proclamado pela Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo. Inspirou a “Síntese Final do Ciclo”, fecho da Proclamação do Apocalipse, feita por Alziro Zarur, em 1o de outubro de 1972, na cidade de Ribeirão Preto/SP, Brasil. É a Restauração da Unidade Cristã nestes tempos apocalípticos derradeiros, como veremos na sequência:

A Síntese Final do Ciclo

1. Todas as criaturas da Terra são naturalmente cristãs; todas as religiões são evidentemente cristãs: uma Cristandade só.

2. O Novo Mandamento de Jesus unifica os Dez Mandamentos da Lei de Deus: um Mandamento só.

3. O Novo Mandamento de Jesus — a língua do Amor Universal, pela Paz Mundial — é o Esperanto de toda a Humanidade Terrestre: um idioma só.

4. O Apocalipse de Jesus, restaurando a Unidade Cristã, unifica todos os rebanhos na Religião de Deus: um só Rebanho para um só Pastor — Jesus.

5. Com a Revelação do Novo Mandamento e a formação do Rebanho Único, o Brasil unifica todas as pátrias: uma pátria só.

6. O Apocalipse de Jesus, o Evangelho Moderno, unifica todas as Revelações de Deus: uma só Revelação, um Evangelho só.

7. O Cristianismo do Novo Mandamento unifica todas as religiões humanas na Religião de Deus: uma só Religião.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.