Para não perder o equilíbrio

Fonte: Livro As Profecias sem Mistério, de 1998.

É essencial nos prendermos à fímbria das vestimentas do Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, como as crianças fazem quando vão acompanhando as mamães e os papais pelas ruas. E não podemos largá-la de forma alguma, quer dizer, não nos devemos afastar jamais dos Seus ensinamentos, sob o risco de perder o equilíbrio, portanto a Paz que Ele nos pode oferecer, conforme nos advertiu:

Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo. Eu vos dou a Paz de Deus, que o mundo não vos pode dar (Evangelho, segundo João, 14:27).

E:

— Não se turbe o vosso coração nem se arreceie (Evangelho, segundo João, 14:1), porque Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo (Evangelho, segundo Mateus, 28:20).

Tela: Benjamin West (1738-1820)

Detalhe da obra: Jesus cura os doentes.

Ora, os governantes da Terra seguramente ainda não a compreenderam, ou temem proclamá-la, porque as nações até hoje não a conseguiram desfrutar, porquanto não O quiseram ouvir, pois, Ele explicitamente declara: O Pão que Eu darei para a Vida do Mundo é a minha própria carne (Evangelho, segundo João, 6:51), em consequência, as Suas palavras e exemplos. E é necessário com insistência destacar que, na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, entendemos o Divino Amigo como uma figura universal, sempre disposta a ensinar e a agir pelo bem de todos, sem distinção. Trata-se do Cristo Ecumênico, liberto das algemas que alguns ainda Lhe podem querer impingir, mesmo que com a melhor das intenções. O Libertador Celeste não deve sofrer limitações da lucubração humana, por mais brilhante que seja, do contrário não seria, como sempre temos repetido, um verdadeiro Libertador. O Cristo de Deus ainda tem muito a nos transmitir. Espera pacientemente, porém, que os Seres da Terra amadureçam e se tornem capazes de entendê-Lo, da mesma forma que advertiu a Nicodemos, no Evangelho, segundo João, 3:10 e 12:

— Ora, Nicodemos, se sendo tu príncipe entre os sacerdotes, não entendeis as coisas terrenas de que vos falo, como compreendereis as Divinas?

Tela: Henry Ossawa Tanner (1859-1937)

Detalhe da obra: Nicodemos visita Jesus.

Se o planeta está faminto de Paz, é porque não aprendeu até agora a usufruir do alimento que Jesus e outros grandes Luminares que pela Terra passaram, pregando o Amor e a Fraternidade, lhe ofereceram. E isso é bem perigoso. Basta recordar como tantos povos andam armados, mesmo os mais pobres, até os dentes...

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".