Decisão em Cristo Jesus

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do e-book "A Esperança não morre nunca", de abril de 2020. | Atualizada em junho de 2020.

Quem determina o nosso destino não é a vontade alheia. É a nossa decisão em Cristo Jesus! Portanto, nada de ficarmos ansiosos quanto ao futuro. Essencial é que façamos a nossa parte, com todo o empenho, como aconselha Jesus, ao advertir que devemos orar e vigiar (trabalhar). Entretanto, concomitantemente ao esforço pela sobrevivência, Ele nos convida a ter Fé poderosa, ao afirmar, no Seu Evangelho, segundo Mateus, 6:34 e 32:

34 Não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados. A cada dia já basta o seu mal.

32 (...) vosso Pai Celeste sabe do que necessitais”.

O Cristianismo não é apologia da ociosidade. A grande lição aqui é que não podemos viver sôfregos, pois, desse modo, seremos arrastados pela ambição desmedida ao abismo da avareza mais vil.

Tela: Joseph Von Führich (1800-1876)

Título da obra: Cristo no mar.

Quem quiser galgar êxito na vida cultive a Fé em Deus, mas trabalhe. A crença resoluta em nosso Pai Celestial não permite que sucumbamos. Junta-se a perseverança com as Boas Obras e se vence pela inderrotável força da Fé Realizante!

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.