Perseverar com eficácia e paciência

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro “A Esperança não morre nunca”, de abril de 2020. | Atualizada em novembro de 2020.

Sempre um bom termo para os elevados propósitos pode surgir quando os seres humanos nele lealmente se empenham, dispostos a resolver desde o menor ao maior dilema que se manifeste no caminho. É uma questão de respeito ao sublime privilégio de existir.

Afirma o nosso Amigo Espiritual Flexa Dourada: “Os problemas estão embaixo; a solução, no Alto”.

Em Deus, portanto! Porque, “para Ele não há impossíveis e prevalecem todas as Suas promessas” (Boa Nova, segundo Lucas, 1:37).

E Jesus, o Divino Mestre, em Seu esplêndido Sermão da Montanha, afiançou: “Bem-aventurados os pacientes, porque eles herdarão a Terra” (Evangelho, segundo Mateus, 5:5).

São premissas das quais nunca poderemos abrir mão. Tenhamos em mente mais este incentivo que o nobre Irmão dr. Bezerra de Menezes (Espírito) tem ofertado sempre aos homens e mulheres, jovens, crianças e Espíritos, Almas Benditas, da Boa Vontade de Deus: Insistência! Persistência! Obstinação! Superamos sempre tudo quando estamos com essas palavras na Alma, a serviço de Deus, do Cristo e do Espírito Santo!”

E a melhor forma de servi-Los é fazendo-se útil aos nossos Irmãos em Humanidade, conforme temos asseverado.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.