Potência paralímpica

Fonte: Jornal A Tribuna Regional, de Santo Ângelo/RS, edição de 14 e 15 de julho de 2012, sábado e domingo.

Terceiro lugar no quadro de medalhas no Campeonato Mundial Paralímpico de Atletismo, realizado em Christchurch, na Nova Zelândia, a seleção brasileira entrou para a galeria das grandes potências esportivas. Na bagagem de volta, 30 medalhas — 12 de ouro, 10 de prata e oito de bronze.

Além de honrar, com puro talento, a bandeira brasileira no exterior, os atletas demonstraram, mais uma vez, força de vontade e superação, fazendo-nos perceber que, apesar das necessidades especiais, é possível vencer tanto no esporte como na vida.

Vivian R. Ferreira

Ao chegar em solo brasileiro, os atletas receberam o carinho das crianças. Na foto, o esportista Alan Fonteles é homenageado pelos atendidos da Legião da Boa Vontade.

NÃO HÁ SONHO IMPOSSÍVEL

O Portal Boa Vontade (www.boavontade.com) deu ampla cobertura à chegada da delegação vitoriosa ao Brasil: “Algumas das crianças atendidas pela Legião da Boa Vontade (LBV) na capital federal homenagearam, na quarta-feira, 2/2, diversos atletas paralímpicos brasileiros que regressaram nesta semana do Mundial Paralímpico de Atletismo. A competição reuniu mais de mil atletas de 70 países e consolidou o Brasil como uma potência paralímpica. O desembarque, realizado no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, foi tomado pela emoção. Na oportunidade, as crianças da LBV presentearam a delegação com um cartão confeccionado por elas e uma camiseta com o logo da Entidade. A atleta Terezinha Guilhermina contou qual a sensação de voltar para casa com quatro medalhas de ouro na bagagem: ‘É uma coroação especial de todo um trabalho feito em conjunto, o retorno de muito suor, muitas lágrimas, muito treino. Não dá para não lembrar tudo o que vivi para chegar até aqui. Tenho muito a agradecer a Deus por todas essas conquistas’.

Vivian R. Ferreira

A atleta Terezinha Guilhermina, um dos destaques da delegação brasileira no Mundial disputado na Nova Zelândia, é saudada pelas crianças da LBV.

“(...) A homenagem, entregue pelas crianças da LBV, também foi ressaltada pela atleta, que deixou uma mensagem especial a elas: ‘Eu me sinto mais jovem no meio delas, e ser exemplo para essas crianças é um desafio maior, até porque a responsabilidade futura é maior ainda. O que posso dizer é que sonhem e estejam dispostas para trabalhar, porque não existe sonho impossível. Sou um exemplo disso’. O medalhista de prata Tito Sena também destacou a importância de representar o Brasil no campeonato: ‘A emoção é muito grande de conquistar essa medalha para o Brasil, sabendo que o povo brasileiro está torcendo por nós. E está aí o resultado da energia positiva que o povo passa. Graças a Deus, deu tudo certo; conquistamos o terceiro lugar [na classificação geral]. Creio que, daqui para frente, a tendência é melhorar ainda mais’. Sobre a homenagem, o medalhista na maratona T46 comentou: ‘Fiquei muito emocionado! Deixo um abraço para cada criança. Para mim, é uma alegria muito grande chegar aqui ao aeroporto e vê-las, é algo muito especial, que motiva a gente’. Alan Fonteles, terceiro lugar na prova dos 100 metros na classe T44, também agradeceu o carinho dos meninos e das meninas atendidos pela Legião da Boa Vontade: ‘Eu agradeço essa iniciativa... é sempre bom a gente ser recebido por essas crianças, que são o futuro da nação, e por acompanhar o nosso trabalho desde pequenas’”.

Parabéns, meninos e meninas. Com a proximidade das Olimpíadas e Paraolimpíadas de Londres, fica nossa expectativa e torcida para o sucesso de nossos atletas.

BRASÍLIA SOLIDÁRIA

Na manhã de segunda-feira, 7/2, voluntários da Legião da Boa Vontade reuniram-se no Centro Comunitário da Instituição na capital federal para organizar e acondicionar 15 toneladas de donativos recolhidos entre vários colaboradores: Fundação Ulysses Guimarães (FUG-DF); Serpro; GVT; FASTHELP; Centro Automotivo do Banco do Brasil Seguro Auto; e Supermercado da Terra (Guará I, Asa Sul e Lago Sul).

A carreta seguiu no mesmo dia para o Rio de Janeiro, destinada às vítimas das chuvas.

O MUNDO NASCEU COM A MÚSICA

Gostaria de agradecer as manifestações de apreço que recebi de muitos leitores sobre o meu artigo “O mundo nasceu com a música”. Entre eles, citamos Ana Lucia Almeida do Nascimento Chaves, de Porto Alegre/RS; Alice Maria Mendes, de Jundiaí/SP; Beatriz Barbosa e Vanderlei Alves Pereira, de São Paulo/SP; Dayse Fonseca, de Salvador/BA; Emeline Gimenez, de Andradina/SP; Gilmar Antônio Mauro, de Brasília/DF; Jacilee Lucila dos Santos, de João Pessoa/PB; Lucinéia Magri, de Americana/SP; Marcos Pedrozo, de Londrina/PR; e Miguel Cassiano Alves, de Vargem Grande do Sul/SP.

A generosidade de seus corações é estímulo dos mais gratificantes.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.