Pedofilia na internet, uma pandemia

Fonte: Jornal A Tribuna Regional, de Santo Ângelo/RS, edição de 23 e 24 de maio de 2009, sábado e domingo.

É preocupante a denúncia feita pelo secretário-geral da União Internacional de Telecomunicações (órgão ligado à Organização das Nações Unidas), Hamadoun Touré, de que, todos os anos, uma em cada cinco crianças que acessam a internet é alvo de pedófilos. O programa Vida Plena, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696), trouxe detalhes da notícia: “Ainda três de cada quatro crianças estão dispostas a compartilhar on-line informação pessoal sobre elas mesmas e sua família, em troca de bens e serviços. Para o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ‘a internet oferece muitas possibilidades para educar e ajudar as crianças a se tornarem adultos criativos e produtivos. Mas é preciso ficar atento aos perigos, que podem deixar cicatrizes em suas vidas’. Para acabar com essa ameaça, autoridades defendem a criação de uma rede mundial que proteja as crianças na internet. A ideia é aplicar legislações nacionais, mobilizar mais as pessoas e melhorar a capacidade de reação dos países em matéria de informática”.

Louvável e imprescindível iniciativa na proteção às nossas crianças contra um mal asqueroso que já virou pandemia.

Lançamento missioneiro

O Departamento de Relações Fraternais (DRF) da LBV, de Porto Alegre, prestigiou, na quinta-feira, 7/5, o lançamento do livro Pedido de Perdão ao Triunfo da Humanidade — A importância dos 160 anos das Missões Jesuítico-Guarani, de José Roberto de Oliveira. Comunica-me o DRF que “o escritor ficou lisonjeado com a presença da LBV em uma data tão importante para as Missões, que são um mosaico cultural do sul do país. Falando à Super RBV de Rádio (AM 1300), José Roberto comentou seu trabalho: ‘O título tem esse nome exatamente pelo pedido de perdão necessário que temos de fazer por causa dessa questão indígena, não só aqui no Rio Grande do Sul, mas no Brasil e na América como um todo’”.

Retribuo o “grande abraço missioneiro e bons espíritos” que me dedicou o autor em exemplar da obra. Lerei com prazer. Conhecer um pouco mais da cultura missioneira é, para mim, algo sempre fascinante.

Focus Brasil e Press Award 2009

Dos Estados Unidos, Danilo Parmegiani, representante da Legião da Boa Vontade na ONU, escreveu-me relatando a participação da LBV em dois importantes eventos promovidos de 7 a 9/5 em Fort Lauderdale, na Flórida: o Focus Brasil (conferência que reúne as lideranças comunitárias, culturais e mídias brasileiras no exterior) e a entrega anual do Press Award 2009, que contaram com delegações brasileiras de 17 Estados norte-americanos e oito países. Mais de 40 veículos de imprensa do nosso país no exterior também se encontraram para mais uma reunião da ABI-Inter (Associação Brasileira de Imprensa Internacional), da qual me orgulho de ser jornalista membro.

Danilo ainda me informou que, “pela atuação diante da ONU e pelas atividades voluntárias e de solidariedade no seu centro comunitário na cidade de Newark, a LBV foi homenageada com mais um troféu Press Award, na categoria Mérito Comunitário. O organizador, jornalista Carlos Borges, declarou seu apoio à Instituição: ‘Parabéns por terem ganhado mais um prêmio, que para mim deveria ser concedido a vida inteira’”.

Grato ao colega Carlos Borges e equipe.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.