O Brasil no High-Level Segment 2007, da ONU

Fonte: Jornal O Sul, edição de 16 de julho de 2007, segunda-feira.

De Genebra/Suíça, Danilo Parmegiani, representante da Legião da Boa Vontade (LBV) na ONU, relata que — “Acostumados, infelizmente, a ver o nosso querido país ser por tantas vezes destaque na mídia internacional pelo lado negativo, geralmente pela violência que choca, é muito salutar quando os brasileiros ganham repercussão pelo que temos de melhor. E isso se deu entre os dias 2 e 5 de julho, quando a LBV representou — como Organização com status consultivo no Conselho Econômico e Social (Ecosoc) das Nações Unidas desde 1999 — a América Latina na mais importante reunião desse órgão: o High-Level Segment 2007, no Palais des Nations, escritório central da ONU em Genebra.

“A LBV apresentou, a convite das Nações Unidas, sua experiência de um trabalho socioeducacional realizado há quase 60 anos, a partir do Brasil, e também o resultado da 1ª Feira de Inovações Rede Sociedade Solidária, organizada pela LBV e a ONU, ocorrida em março, no Brasil e na América Latina, com a participação de 1.124 entidades dessas regiões. A feira abordou o tema ‘Parcerias globais para o desenvolvimento — Fortalecendo esforços para a erradicação da pobreza e da fome’, com apoio do UN/Desa e do Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil (UNIC-Rio)”.

“O encontro de Genebra teve a nobre incumbência de propagar ações que colaborem para o desenvolvimento sustentável e para a melhoria da qualidade de vida do planeta, compartilhando com a sociedade civil, os chefes de estado, conselheiros ministeriais e alto comissariado da ONU as boas práticas que possam ser multiplicadas, as novas tecnologias sociais e as estratégias intersetoriais para que os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) tornem-se realidade, especialmente no que se refere à erradicação da fome e da pobreza.

“A cerimônia de abertura, conduzida pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, contou com representantes dos 192 países membros do Ecosoc. Após esse ato, o secretário visitou a mostra de trabalhos das instituições presentes. No estande da LBV, observou atentamente os painéis com fotografias e histórias de sucesso da organização brasileira, apreciou as pinturas temáticas e recebeu a revista Globalização do Amor Fraterno (inicialmente editada em português, inglês e francês), que traz a mensagem de Paiva Netto, alvo de especial atenção dos participantes. Ban Ki-moon registrou seu encontro com a LBV e assinou a capa da publicação, ratificando seu apoio às ações empreendidas pela Legião da Boa Vontade. A dra. Hanifa Mezoui, chefe do departamento de ONGs do UN/Desa, acompanhou o Secretário na visita.

“No dia 4 de julho, em nome da LBV, a doutoranda em educação Maria de Albuquerque discursou na assembléia do High-Level Segment, dirigida pelo vice-presidente do Conselho Econômico e Social, Sr. Hilario Davide. A apresentação aos chefes de estado resumiu o relatório da LBV, cujas recomendações foram traduzidas pela própria ONU para os seus seis idiomas oficiais. (A íntegra pode ser obtida no site www.redesociedadesolidaria.org.br ).

“Depois da palavra da educadora, recebida com entusiasmo pelo público, o dr. Hilario comentou: ‘É poderosa a mensagem da LBV. Somente com a globalização do amor em todo o seu sentido teremos paz, progresso e prosperidade para toda a humanidade’.

“A dra. Michelle Billant-Fedoroff, chefe adjunta da seção de ONGs do Ecosoc, enviou um recado especial ao líder da Instituição: ‘Senhor Paiva Netto, vim por vocês a Genebra para apresentá-los ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que soube dos trabalhos extraordinários que fazem no Brasil. Ele conhece o senhor e a sua grande Organização e os encorajou a continuar nessa ação, agora bem conhecida no mundo’.

“Nos primeiros dias do evento, importantes autoridades compareceram ao estande da LBV, a exemplo do embaixador da Índia na Suíça e no Estado do Vaticano, sr. Amitava Tripathi, que veio especialmente da cidade onde reside, Berna, para encontrar-se com integrantes da LBV, oportunidade em que expressou seu entusiasmo acerca da revista Globalização do Amor Fraterno. ‘O trabalho da LBV é muito importante no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, porque não é só relevante para o Brasil, mas para toda a humanidade. A pobreza, a fome, a falta de educação básica, são problemas sérios que afetam a todos. Para evitar ou preveni-los, eles precisam ser abordados apropriadamente, discutidos em âmbito mundial, e é por isso que parabenizo a LBV’”.

Os desdobramentos desses fatos merecerão de nossa parte uma série de considerações, tendo em vista sua relevância. Afinal, há muito que se caminhar para alcançar a desejada sociedade solidária altruística ecumênica, na qual “todos os seres humanos possam nascer livres e iguais em dignidade de direitos”, conforme postula a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.