Fórum Mundial da Água

Fonte: Jornal de Brasília, edição de 18 de fevereiro de 2014, terça-feira.

Brasília está na expectativa de ser nomeada para sediar, em 2018, o 8º. Fórum Mundial da Água. Nossa capital lidera a candidatura latino-americana e concorre com Copenhague, Dinamarca. No próximo dia 26 de fevereiro, conheceremos o local escolhido. O anúncio ocorrerá em Daegu, Coreia do Sul, cidade do Fórum em 2015.

O evento é promovido pelo Conselho Mundial da Água, criado em 1996 e composto por mais de 50 países. O órgão, que tem sede em Marselha, na França, é presidido pelo brasileiro Benedito Braga, engenheiro e professor da USP.

ÁGUA E SEUS DESAFIOS

O precioso líquido que sustenta a vida merece atenção constante e atitudes sem delongas. A população segue crescendo. E, de forma lamentável, o aumento dos poluentes no ar, nas águas, nas florestas, por toda a parte, não fica atrás. Ora, a disponibilidade de água potável tem um limite, não consente desperdícios. Além disso, há outros problemas complexos a resolver. A própria Paz entre nações depende de medidas acertadas.

Divulgação

Dr. Benedito Braga

Segundo o dr. Benedito Braga, "o Brasil avançou muito nos últimos 10, 15 anos do ponto de vista da gestão dos recursos hídricos. Em 1997, promulgou a Lei das Águas. Em 2000, instituiu a Agência Nacional de Águas. Portanto, é um país que se destaca no cenário internacional, por ter mecanismos de gestão de água bastante modernos, eu diria sofisticados".

Naturalmente, uma extensão territorial como a nossa comporta também desafios na mesma magnitude. Por exemplo, o Brasil possui 12% da água doce do mundo. "É muita água!", exclamou o dr. Benedito Braga. Contudo, ele prossegue: "Setenta por cento dessa água está na Amazônia, onde somente 7% da população vive. Então, onde a água está, as pessoas não estão; onde as pessoas estão, a água não está". E concluiu o professor à apresentadora do programa Biosfera, Jully Anne, da Boa Vontade TV (Oi TV — Canal 212 — e Net Brasil/Claro TV — Canais 196 e 696): "Esse é o grande problema brasileiro que hoje enfrentamos".

SIMPLES ASSIM: CÉLULAS-TRONCO

Luiz Barcellos

Doutores Elíseo Joji Sekiya, Alysson Muotri e Adelson Alves

Em São Paulo/SP, no dia 6/2, os médicos Adelson Alves e Alysson Muotri receberam mais de 300 convidados, entre médicos, profissionais de saúde de distintas áreas, empresários, escritores e universitários, para o lançamento de "Simples assim: Células-tronco", cuja capa traz a assinatura de Ziraldo. O livro tem ainda a colaboração dos doutores Andresa Forte, Edilson da Costa Ogeda, Elíseo Joji Sekiya, Telma Ingrid Borges de Bellis Kühn e Wirla Pontes em capítulos complementares.

Aprender conceitos básicos sobre células-tronco com simplicidade e humor é a proposta dos autores, que ilustram "a persistente fascinação do homem pela regeneração e pela vida eterna".

Fiquei honrado com as dedicatórias que recebi em um exemplar da obra: "Ao dr. Paiva Netto um forte abraço. Elíseo"; "Ao amigo Paiva Netto, um grande abraço do amigo cientista! Parabéns pelo trabalho. Alysson"; "Ao amigo Paiva Netto, com carinho e admiração. Adelson".

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.