Cem vozes entoam o Novo Mandamento de Jesus na ONU

Um momento marcante para a história das Instituições da Boa Vontade de Deus: Em 5 de abril de 2000, o movimento final do Oratório O Mistério de Deus Revelado, “O Novo Mandamento de Jesus”, do compositor Paiva Netto, foi interpretado, em inglês, na sede das Nações Unidas em Nova York, nos Estados Unidos, pelo Coral Ecumênico Boa Vontade, primeiro coro brasileiro a apresentar-se na ONU.

Adrianan Jason

O coral foi convidado pelo dr. Bawa N. Jain, diretor internacional do Centro Inter-religioso de Nova York, entidade que presta serviços às Nações Unidas e à época organizava a “Estação para a Não-Violência”. O evento enfatizou o legado pacifista de Gandhi (1869-1948) e de Martin Luther King Jr. (1929-1968) na formação cultural das novas gerações, e, nessa edição, celebrou também o lançamento do Dia Nacional da Reconciliação nos Estados Unidos, iniciativa que teve o apoio do então presidente do país Bill Clinton

Bawa Jain esteve, no fim de 1999, em Brasília/DF para participar das celebrações dos 50 anos da Legião da Boa Vontade, na passagem para o ano 2000. Ele foi portador de uma homenagem à LBV, em nome do então secretário-geral da ONU, dr. Kofi Annan (1938-2018): o troféu comemorativo do cinquentenário do organismo internacional. Sensibilizado com as realizações da instituição brasileira, o dr. Bawa Jain decidiu incluir o Coral da LBV na programação cultural da solenidade de encerramento do evento em Nova York, em abril.

O grupo, com cerca de 100 vozes, foi a atração especial da “Estação para a Não-Violência”, no Trusteeship Council da ONU. Estiveram presentes por volta de 2 mil pessoas, entre estudantes nova-iorquinos, membros das missões de diversos países, líderes espirituais e autoridades. O público aplaudiu o Coral da LBV de pé, como lembrou a coralista Marisa Bertolin: "Foi um ano bem marcante para nós. Foi um evento que a gente nunca imaginou participar. A partir do momento em que recebemos o convite de cantar na ONU, sentimos uma expectativa e emoção muito grande até chegar esse dia. A nossa apresentação foi tão importante, estar num local onde se debate assuntos do mundo inteiro, e estar ali cantando o Novo Mandamento de Jesus para todas aquelas pessoas e ser aplaudido de pé foi de extrema importância. É um fato que nunca vai sair da memória e marcou as nossas vidas, poder representar a LBV e o Irmão Paiva. Foi muito gratificante".

Adrianan Jason

Coral Ecumênico Boa Vontade canta na Catedral Saint John The Divine, em Nova York/EUA, em abril de 2000.

Aproveitando a estada em Nova York, o grupo cantou ainda em vários outros locais na cidade, a exemplo da Catedral Saint John The Divine, o maior templo gótico do mundo. Para Paola Oliva, "foi uma emoção indescritível ter a oportunidade de cantar nesses lugares, cantar na ONU, levando, por intermédio da música, o Novo Mandamento de Jesus, para corações de outras nacionalidades e culturas. É como se o mundo pudesse compartilhar conosco esse sentimento Legionário tão bom e seguro que rege as nossas vidas".

"Estávamos muito felizes e orgulhosos, naturalmente, pois, como seres humanos, queremos sempre ajudar a melhorar o nosso planeta, e, naquele momento, tínhamos a oportunidade de levar o Novo Mandamento de Jesus, o Divino Estadista, em acordes musicais, aos corações das pessoas que debatem sobre os problemas do mundo. Nos momentos que antecediam a apresentação, via a alegria em cada coralista por levar um canto que iria inspirar aquelas pessoas nas suas ações que afetam bilhões de espíritos. Certamente, uma ocasião memorável", relatou Rafael Lombardi Santos.