Relembre a história da "Prece para ter Tranquilidade", do compositor Paiva Netto

A data era 4 de fevereiro de 1999, e o local, Glorinha, RS. O relógio marcava 19h40. O compositor Paiva Netto chegou à sala de música e foi direto ao piano. A melodia trazia serenidade. Enquanto tocava, dizia: "Os pizzicatos aqui representam o pulsar do coração tranquilo". Depois de apresentar a nova composição, fechou o piano e enunciou: "Agora, vamos à letra: ‘Só Jesus salva!/ Dele a Paz virá,/ Para o coração/ Que quer Seu perdão./ Vem, ó Mestre, a nós!/ Não nos deixes sós!/ Tudo é sempre dor/ Sem o Teu Amor!’".

Arquivo BV

O oratório foi gravado com interpretação da Orquestra Sinfônica de Sófia e do Coro Filarmônico Nacional “Svetoslav Obretenov”, da Bulgária, com solos de Nina Marinkova (soprano), Sonia Tsoneva (contralto) e Svilen Rajtchev (barítono), sob a regência do maestro Ricardo Averbach e com o arranjo do maestro Legionário Vanderlei Pereira.

Nascia, há 19 anos, a "Prece para ter Tranquilidade", para confortar e amenizar as dores de todos os que sofrem. A composição, que recentemente foi escolhida para concluir aula de 16 mil regentes na Espanha, integra o Oratório O Mistério de Deus Revelado, do compositor, que superou a marca de 500 mil cópias vendidas. O oratório foi escrito em Portugal, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul e em Brasília/DF (1998), Brasil, sob a inspiração do genial Villa-Lobos (1887-1959).

A canção também foi apresentada no Espetáculo Música Legionária — Ao Cristo com decisão!, realizado durante as celebrações do 23º aniversário do Templo da Boa Vontade (TBV), o Templo do Ecumenismo Divino, em Brasília, DF. Convidamos você a assistir este belo momento, aproveitando para elevar seu pensamento a Jesus, o Divino Amigo, e tranquilizar o seu interior:

 

Sobre o autor

O compositor e produtor musical Paiva Netto, cuja obra fonográfica vendeu milhões de cópias, teve sua paixão pela música despertada por seus pais, Idalina Cecília (1913-1994) e Bruno Simões de Paiva (1911-2000). Deles herdou também o sentimento fraterno e o senso de humanidade, tão marcantes no conjunto de suas composições. No Colégio Pedro II (Rio de Janeiro/RJ), onde recebeu o título de Aluno Eminente (possuindo placa de bronze na sede do órgão carioca), teve aulas com o professor Homero Dornelas (1901-1990), assessor do notável compositor e maestro Villa-Lobos. Entre as múltiplas atividades que desenvolveu inicialmente, foi sonoplasta dos programas radiofônicos do saudoso proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o radialista e poeta Alziro Zarur (1914-1979), o que acentuou ainda mais seu ouvido musical. Não obstante a extrema dedicação à causa da Boa Vontade, sua ligação com a música não se perderia. Leia mais em: compositor Paiva Netto.