O Poder Extraordinário de Jesus e a Esperança Divina

Fonte: Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!, edição 133, de fevereiro de 2019.

Estimados leitores, nesta edição de JESUS ESTÁ CHEGANDO!, o Irmão Paiva transporta nossa Alma para o místico e sublime momento da chegada de Jesus ao planeta Terra, em Sua Primeira Vinda Visível. Da manjedoura rodeada de Anjos nos vem a inspiração para multiplicar os elevados valores espirituais, que transformam nossas existências para melhor: “Sejamos nós o luzeiro a propagar o Bendito Esplendor das Escrituras Santas”.

Na sequência de suas fraternas palavras, em comovente prece, Paiva Netto aponta nossos sentidos em direção ao Pai Eterno, trazendo-nos a força renovadora, que nos enche de profundo Amor pela vida.

Entre no silêncio da Alma e tenha boa leitura.

Os editores

Minhas Irmãs e meus Amigos, minhas Amigas e meus Irmãos, o Evangelho-Apocalipse de Jesus é a luminosa porta de entrada para uma existência repleta de Paz, Fraternidade, Generosidade, Compaixão, Entendimento. Sua Bendita Mensagem de Fé Realizante e de Esperança nos fortalece o ânimo, impulsionando nossa Alma para que suplante os embates deste orbe ainda cruel e desumano, onde a dor, a fome, o desalento, a tristeza, o egoísmo, a violência, a mentira e a guerra campeiam ferozes.

Tela: Gebhard Fugel (1863-1939)

Detalhe da obra: Cristo cura os enfermos.

Contudo, sob os encômios do anúncio angélico aos pastores do campo, quando o Ungido do Pai Celestial desceu a este mundo — “Glória a Deus nas Alturas, e Paz na Terra aos de Boa Vontade” (Evangelho, segundo Lucas, 2:14) —, saúdo a todos na Terra e no Céu da Terra, porquanto sabemos que, no Plano Espiritual, igualmente existem continentes, civilizações, famílias, dificuldades, soluções...

Reprodução BV

Hermes Trismegisto

Hermes Trismegisto, que se supõe ter vivido dois mil anos antes do Cristo, já intuía esse fato: “O que está embaixo é como o que está em cima, e o que está em cima é como o que está embaixo”.

Mas esse “em cima” possui várias gradações, elevadas ou de inferior aspecto. Nas Regiões Sublimes — o paraíso mencionado na Bíblia (Boa Nova, consoante Lucas, 23:43), assim como nos livros sagrados das diversas culturas terrenas —, há paragens magníficas, em que o Amor e a Justiça de Deus reinam perpetuamente.

Aliás, quando o Amigo e Irmão Flexa Dourada (Espírito) afirma que “os problemas estão embaixo; a solução, no Alto”, ele está se referindo justamente a essas Altas Esferas Espirituais, sede do Governo Invisível do Estadista Celeste, o Cristo Ecumênico.

E, para trazer essa divindade da vida ao planeta em que habitamos fisicamente, Jesus nasceu entre nós, o Pão Vivo que provém dos Soberanos Domínios. Ele afiança, em Seu Evangelho, segundo João, 6:35 e 51:

35 Eu sou o Pão da Vida. Quem vem a mim de modo algum terá fome; e quem em mim crê jamais terá sede.

51 Eu sou o Pão Vivo que desceu do Céu. Se alguém dele comer, viverá eternamente”.

Ora, todos, religiosos ou não, no íntimo intuem essa verdade acerca do prosseguimento da vida nos Planos Espirituais. Por isso, a nós nunca causou espanto a sobrevivência das religiões no mundo, porque, crente ou ateu, o ser humano nasce com espírito de Religiosidade, em virtude de sua natureza imortal.

A Esperança desceu à Terra

Abasteçamos, pois, nossa Alma na Fonte do Conhecimento e da Fartura Espirituais, contidos no Santo Evangelho, e revistamo-nos da esplendorosa vibração do Nascimento de Jesus, quando a Esperança desceu à Terra. Em oração, contritos, roguemos aos Céus pelo Retorno Glorioso do Sábio dos Milênios, conforme Sua Promessa: “Quando o Filho de Deus voltar sobre as nuvens com Seus Santos Anjos, dará a cada um de acordo com as próprias obras de cada um” Jesus (Mateus, 16:27).

Ao percorrermos a narrativa de Seu Nascimento, só a leitura das passagens bíblicas já nos emociona. Afinal, trata-se do Verbo de Deus habitando entre nós. E Sua Permanência prossegue em Suas Palavras e em Seus Exemplos.

Instruções de um Anjo a José

(Evangelho, segundo Mateus, 1:18 a 25)

18 Ora, o Nascimento de Jesus Cristo foi assim: estando Maria, Sua Mãe, desposada com José, sem que tivessem antes coabitado, achou-se grávida pelo Espírito Santo.

19 Mas José, seu esposo, sendo homem justo e não a querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente.

20 Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu em sonho um Anjo do Senhor, dizendo: 'José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, pois o que nela foi gerado foi feito segundo o Espírito Santo.

21 Ela dará à luz um filho e Lhe darás o nome de Jesus [isto é, o Salvador], porque Ele próprio redimirá o Seu povo dos pecados'.

22 Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor por intermédio do Profeta:

23 'Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e Ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer Deus conosco)'.

24 Despertado José do sono, fez como lhe ordenara o Anjo do Senhor e recebeu sua mulher.

25 Contudo, não a conheceu até o dia em que deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.”

Tela: R_Francisco de Herrera, o moço (1627-1685)

Detalhe da obra: O sonho de São José.

O Nascimento de Jesus e o Cântico dos Anjos

(Evangelho, segundo Lucas, 2:1 a 14)

1 Naqueles dias, apareceu um decreto de César Augusto, ordenando o recenseamento de todo o mundo habitado.

2 Esse recenseamento foi o primeiro, enquanto Quirino era governador da Síria.

3 E todos iam se alistar, cada um na sua própria cidade.

4 Também José subiu da cidade de Nazaré, na Galileia, para a Judeia, na cidade de Davi,

5 chamada Belém, por ser da casa e da família de Davi, para se inscrever com Maria, sua mulher, que estava grávida.

6 Enquanto lá se encontravam, completaram-se os dias para o parto,

7 e Maria deu à luz o seu filho primogênito, envolveu-O com faixas e reclinou-O numa manjedoura, porque não havia um lugar para eles na casa.

Tela: Antonio Balestra (1666-1740)

Detalhe da obra: A adoração dos pastores.

Os Anjos e os pastores

8 Na mesma região, havia uns pastores que estavam nos campos e que, durante as vigílias da noite, montavam guarda a seu rebanho.

9 Um Anjo do Senhor apareceu-lhes, e a glória de Deus envolveu-os de Luz; e ficaram tomados de grande temor.

10 O Anjo, porém, disse-lhes: 'Não temais! Eis que vos anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo:

11 Nasceu-vos hoje um Salvador, que é o Cristo de Deus, na cidade de Davi.

12 E isto vos servirá de sinal: encontrareis um recém-nascido, envolto em faixas, deitado numa manjedoura'.

13 E, de repente, juntou-se ao Anjo uma multidão das Hostes Celestiais, a louvar a Deus, dizendo:

14 'Glória a Deus nas Alturas, e Paz na Terra aos de Boa Vontade'."

Tela: Bartolomé Esteban Murillo (1617-1682)

Título da obra: A adoração dos pastores.

Jesus é a certeza que não frustra

Jesus é uma Escola Viva de Libertação para os habitantes da Terra e do Céu da Terra. Com o pensamento firmado Nele, a Sabedoria das Estrelas fartamente descerá sobre todos nós. Ele é a certeza que não frustra. Por isso mesmo, o Evangelho-Apocalipse de Nosso Senhor Jesus Cristo é uma eternidade de conhecimento. Ele é o Jardineiro Divino. E nós somos — quando nos permitimos ser iluminados pela Verdade que Ele trouxe, a fim de nos redimir — frutos, flores de Seu jardim magnífico. O Cristo é o Divino Encantamento de nossa Alma.

Por que Jesus habitou entre os seres humanos? Justamente para nos salvar e espiritualmente nos libertar, pelo Seu Poder Infinito.

Tela: Vasily Polenov (1844-1927)

Título da obra: A cura da filha de Jairo.

Nas horas de tristeza, abram e leiam o Santo Evangelho-Apocalipse do Mestre Amado. Sintam o Poder Extraordinário de Jesus, e verão que sua Alma se tornará mais forte e muito feliz.

A Graça, a Misericórdia e a Verdade

Sejamos nós o luzeiro a propagar o Bendito Esplendor das Escrituras Santas, como faz a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo.

Apenas semeando, cultivando e vivenciando esses nobres princípios, teremos a garantia de um mundo verdadeiramente renovado. O que de mais importante poderíamos desejar a todos os queridos ouvintes, telespectadores, internautas, leitores do que anunciar ao mundo o Mandamento Novo de Amor incondicional do Cristo? O Educador dos educadores foi didático: “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho, consoante João,13:34 e 35).

Tela: Philippe de Champaigne (1602-1674)

Moisés

Em sua versão da Boa Nova de Jesus, 1:17, o Discípulo Amado assegura que “a lei foi dada por Moisés; a Graça e a Verdade vieram por Jesus Cristo”.

Portanto, a Graça, a Misericórdia e a Verdade vieram por intermédio Dele, que se permitiu imolar na cruz por Amor a todos nós. “Não há maior Amor do que doar a própria vida pelos seus amigos” (Evangelho, segundo João, 15:13).

E Ele a entregou até mesmo pelos Seus desavisados adversários.

Por isso, vamos orar com o pensamento firmado no Supremo Governante deste planeta, a Quem servimos, porquanto, como testificou o Anjo à Mãe de Jesus, Maria: “Tudo é possível quando Deus assim O quer” (Evangelho, consoante Lucas, 1:37).

Preparação para a prece

Sursum corda! Sursum corda! Elevemos os nossos corações para que possamos ser dignos do prêmio da perseverança em Jesus.

Pai-Nosso

(A Oração Ecumênica do Cristo, transcrita em Seu Evangelho, segundo Mateus, 6:9 a 13.)

“Pai Nosso, que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome.

Venha a nós o Vosso Reino.

Seja feita a Vossa Vontade, assim na Terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia dai-nos hoje.

Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoarmos aos nossos ofensores.

Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, porque Vosso é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre.

Amém!”

Tela: James Tissot (1836-1902)

Detalhe da obra intitulada: A Oração do Senhor.

Natal Permanente e Ano-Novo de Renovação Espiritual!

Ó Jesus, Médico de todos os médicos, cuja misericórdia nos sustenta! Alicerçados no lema da Tua Religião Divina, que luta “por um Brasil melhor e por uma Humanidade mais feliz”, pregamos e celebramos aqui o Teu Natal Permanente e o Teu Ano-Novo de Renovação Espiritual!

Arquivo BV

Alziro Zarur   

Resolvessem os governos do mundo todos os problemas sociais de seus povos, estes continuariam insatisfeitos, visto que há uma carência além da necessidade unicamente física: é a urgência do Alimento para o Espírito. Por essa razão, o saudoso Proclamador da Religião do Amor Universal, Alziro Zarur (1914-1979), preconizou a Caridade Completa, ou seja, a Caridade Material iluminada pela Espiritual. Mas ainda há muito que ensinar sobre o significado da Caridade autêntica, aquela descrita pelo Apóstolo Paulo como a maior das três virtudes teologais — Fé, Esperança e Caridade (Primeira Epístola aos Coríntios, 13:13) —, porque Caridade quer dizer Amor, e “Deus é Amor” (Primeira Epístola de João, 4:8).

Tela: Rembrandt (1606-1669)

O Apóstolo Paulo

Ninguém pode ser religioso, ó Cristo de Deus, sem amar; político sem, de fato, respeitar os cidadãos; cientista se não assimilar a razão primeira da sua Ciência, que é a melhoria das condições dos seus semelhantes. E assim na Filosofia, na Arte, no Esporte, na Economia — que considero a mais espiritual de todas as ciências ou arte, porque em suas mãos se encontra a correta partilha dos meios de sobrevivência da criatura terrena.

Ressalto, entretanto, que, ao discorrermos sobre essa subsistência, ó Jesus, almejamos que todos compreendam quão inadiável é o reconhecimento de nossa natureza espiritual. Estamos corpo, mas somos eternamente Espírito.

Como escrevi em Os mortos não morrem (2018), nossa essência é imortal, porque “Deus é Espírito”, consoante Tu mesmo revelaste, Jesus, à mulher samaritana, no poço de Jacó: “Deus é Espírito; e importa que os Seus adoradores O adorem em Espírito e Verdade” (Evangelho, segundo João, 4:24).

Tela: Govaert Flinck (1615-1660)

Detalhe da Obra: Jesus e a Samaritana.

O espírito da Caridade autêntica

A Caridade é a estratégia que Deus oferece, por exemplo, aos intelectuais do mundo e aos mais diferentes campos do saber, a fim de que a sua racionalidade não seja somente fosfórica. Pelo contrário. Que sirva para abrir caminhos ao futuro da Humanidade. Foi o que escrevi em Tesouros da Alma (2017): quando a razão se une ao coração (sentimento), as soluções fraternas fornecem à vida a tão sonhada felicidade, que só pode ser verdadeira quando há alimento, espiritual e material, no prato de todos.

Tesouros da Alma (2017) – Adquira!

Ó Senhor, ilumina aqueles que infatigavelmente colaboram para as Casas de Deus na Terra, as Instituições da Boa Vontade, que são Tuas; nossos voluntários e contribuintes, que labutam pela Tua causa. A todos eles, as Tuas Bênçãos, nesta esplendorosa ambiência do Teu Amor Paternal, ó Cristo de Deus.

Graças, Senhor! Dá-nos a Divina Paz, que prometeste àqueles que vivem o Teu Novo Mandamento: “Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo. Eu vos dou a Paz de Deus, que o mundo não vos pode dar. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie, porque Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo!” (Evangelho, segundo João, 14:27 e 1; e Mateus, 28:20).

“Glória a Deus nas Alturas, e Paz na Terra aos homens [e às mulheres, aos jovens, às crianças, aos Espíritos, Almas Benditas] da Boa Vontade de Deus!” (Evangelho, consoante Lucas, 2:14).

Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho.

Quanto mais perto de Jesus, mais longe dos problemas!

Servir a Jesus não é sacrifício. É privilégio!

Seguros estamos na Divina Segurança das seguras mãos de Jesus!

Deus Está Presente!

Viva Jesus em nossos corações para sempre!

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.