Vamos falar com Deus — a história

Arquivo BV

Alziro Zarur   

Em 29 de janeiro de 1957, Alziro Zarur acendeu um luzeiro espiritual de raios divinos sobre o Brasil. Iluminou a consciência desta grande pátria. Lançou, pela Rádio Mundial, antiga Emissora da Boa Vontade, o brado que encheu de esperança e de ânimo inderrotável milhões e milhões de Almas: “Jesus Está Chamando! O ciclo está-se fechando. Jesus Está Voltando e desta vez não é para ser crucificado, não! Que veja quem tem olhos de ver! Que ouça quem tem ouvidos de ouvir!”

Multidões atenderam e continuam atendendo ao chamado do Cristo, para a formação de um só Rebanho para um só Pastor, que é Ele mesmo – Jesus.

Jesus Está Chegando!

Em 22 de janeiro de 1982, por ocasião do Jubileu de Prata de Jesus Está Chamando!, e após cumprir no Cronograma Celeste a etapa Jesus Está Voltando!, a Religião do Terceiro Milênio ingressou no ciclo Jesus Está Chegando!, durante inesquecível solenidade realizada em Belo Horizonte/MG.

Já se completa o Plano de Deus para a salvação das gentes. Bendita seja a Religião do Amor Universal, nossa Mãe Protetora, tal qual Maria Santíssima, até que todos possamos, jubilosos, cantar finalmente, na quarta etapa da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo: Jesus chegou!

Tela: Pierre Mignard (1612-1695)

Detalhe da obra: Maria com o menino Jesus.

Adendo

Jesus chegou!

Em 25 de janeiro de 1991, ao estudar com o povo a Carta do Cristo à Igreja em Filadélfia (Livro da Revelação, 3:7 a 13), durante a série radiofônica “O Apocalipse de Jesus para os Simples de Coração”, espiritualmente lancei a quarta fase iniciática da notável pregação da Religião do Terceiro Milênio: Jesus chegou!

Sobre esse avançado e decisivo passo, expliquei: antes que um grande astro se aproxime de outro qualquer, a sua influenciação eletromagnética se faz sentir. E há também mais um fato de natureza física: os pequenos corpos celestes que estejam transitando, por perto, no Espaço são empurrados adiante dele. Eles seriam, assim, uma espécie de vanguarda.

Reprodução BV

É o caso de Jesus. As Quatro Fases Iniciáticas da notável pregação da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, as quais já lhes apresentei, são: Jesus Está Chamando!, Jesus Está Voltando!, Jesus Está Chegando! e Jesus Chegou! Ora, o Cristo é um Luminoso Astro, uma Elevadíssima Potência. Aqueles que têm sensibilidade espiritual vão percebendo por antecipação os Seus eflúvios, como se um poderoso campo gravitacional interagisse com o orbe terrestre. É só ver a influência da Lua sobre a tábua das marés, o nascimento das plantas, o crescimento do cabelo... Se um grande objeto material provoca esses efeitos todos, imagine um corpo espiritual de tamanha magnitude! Então, espiritualmente JESUS CHEGOU! Depois vêm as consequências desse extraordinário fato. Os sinais proféticos estão aí para quem tem “olhos de ver e ouvidos de ouvir”.

Os Cristãos do Novo Mandamento de Jesus têm o compromisso de anunciar, por toda a parte, como abre-alas que são, a Volta Triunfal do Supremo Governante do planeta Terra. Essa é a mais importante finalidade da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo.

A Prece do Copo d’Água

O programa Jesus Está Chamando! (29 de janeiro de 1957) lançou a famosa prece Vamos Falar com Deus, o que provocou a perseguição de alguns ignorantes espirituais. Começaram a espalhar, com espírito de deboche, que “Zarur andava falando com Deus...” Entretanto, em vez de irritar-se, o Fundador da LBV pacientemente explicou: “Das crianças mentais só podemos esperar infantilidades como essa. E vou ficar zangado por isso? Ao contrário, essas coisas me divertem bastante, como as travessuras dos meus filhos. Mas, afinal, que é rezar, orar ou fazer prece? Exatamente isto: conversar francamente com Jesus, falar lealmente com Deus, ou Maria Santíssima, ou qualquer Santo da devoção de qualquer um. É assim como falar com o próprio pai ou a própria mãe, e — não existindo estes no plano terra — recorrer aos parentes e amigos de confiança. Por meio da prece, ou oração, ninguém precisa de intermediário para falar com Deus. Quem o afirmou? O próprio Jesus. Quando os Discípulos Lhe pediram que lhes ensinasse a orar, que fez o Cristo? Imediatamente lhes deu o “Pai-Nosso”. E, por sinal, foi essa a única oração que o Mestre legou à Humanidade. Tão concisa que prova: — Deus não atende a ninguém pelo muito falar. É que Deus já sabe de tudo”.

Reprodução BV

Alexis Carrel

Em seguida, discorreu sobre as vantagens reais da oração: “O poder da oração é hoje proclamado pela Ciência, como vimos na obra de Alexis Carrel (1873-1944). O fundamento da fé é a certeza de que Deus existe, e está em toda parte ao mesmo tempo, isto é, onipresente, onisciente e onipotente. A oração gera uma força que os trêfegos jamais entenderão. Mas, quando Jesus diz ‘pedi, e Deus vos dará’, impõe uma condição sine qua non: perdoar aos inimigos setenta vezes sete, isto é, até ao infinito do perdão. Esquecer todo o rancor, todo ressentimento, toda angústia, todo medo e impulso de vingança. É a Regra Áurea: ‘Fazei aos outros o que desejais que eles vos façam’. A cada um conforme as próprias obras... É a Lei...”

Se Deus criou a água, por que não pode fluidificá-la?

Desde o princípio da pregação de Zarur, que é anterior à LBV, e durante o programa Vamos Falar com Deus, os seus ouvintes colocam ao lado do rádio um copo, um jarro, o que seja, com água, para que, durante aqueles momentos de comunhão com o Poder Superior, pela fluidificação do precioso líquido, todos os que tenham Fé recebam, na razão direta do merecimento de cada um, a graça do Pai Celestial.

A Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, diariamente, durante a sua poderosa Corrente de Orações, fortalece os Espíritos e ilumina as mentes, por meio dos ensinamentos do Apocalipse e do Evangelho de Jesus. Com isso, mostra aos seus ouvintes e seguidores [telespectadores e internautas] que, se Deus fluidificava as águas do Rio Jordão e do poço de Siloé para curar os enfermos nos tempos bíblicos, por que não poderá fluidificar a água colocada junto ao receptor no horário do PBV — Programa Boa Vontade? Ora, como ensinou o Divino Chefe: “Tudo é possível àquele que crê” (Evangelho, segundo Marcos, 9:23).

 

Milagres existem. Só que, perante a Lei de Deus, não são milagres

Falando às Mulheres Legionárias da Boa Vontade durante o seu 9o Congresso, realizado em Araçatuba/SP, em 12 de maio de 1984, contei-lhes que, certa vez, um repórter me perguntou se acredito em milagres. Respondi-lhe: Acredito. O fenômeno existe. Só que, perante as Leis de Deus, não são milagres, isto é, não são fatos que derroguem as leis naturais, divinas. Mas, sim, acontecimentos que amanhã terão sua explicação científica, sem que seja negada a existência do Divino Poder, o qual paira acima de todos os sofismas da inveja humana, que teimosamente não quer admitir a existência de uma sabedoria superior à sua. Quanta pretensão! Porém, com o tempo, o ser humano vai alcançando os segredos da Ciência Divina. Como ensinava Zarur, “ninguém inventa nada, apenas descobre o que já existe no Plano de Deus”.

Realmente, porque, senão, antes de criar alguma coisa, o ser humano teria de estabelecer leis que possibilitassem o funcionamento de suas invenções. Não há efeito sem causa, pontifica a Física humana. Um dia, as Leis de Deus — que regem o mecanismo dos chamados “milagres” — serão alcançadas pela Ciência terrena e totalmente compreendidas.

Deus não quer que Seus filhos eternamente permaneçam na ignorância, mas que, passo a passo, descubram os segredos, que apenas se encontram ocultos enquanto não estiverem aptos a desvendá-los. Não há mistério eterno.

Tela: Rembrandt (1606-1669)

O Apóstolo Paulo

Aliar o conhecimento humano ao divino significa unir as Duas Humanidades — a carnal à Espiritual —, trazer do Invisível para o visível, pela força da Fé Realizante, o que lá se encontra. Como revelou o Apóstolo Paulo, em sua Epístola aos Hebreus, 11:1: “A Fé é a substância das coisas desejadas, a realização no plano material do que se encontra no espiritual”.

Tela: Pompeo Batoni (1708–1787)

Mateus

É a maior força para a materialização daquilo de que necessitamos. E este é um grande serviço espiritual que a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo vem prestando ao mundo ao longo das décadas, contribuindo para a consolidação na Terra do Reino Divino, consoante nos ensinou Jesus ao pedir na prece: “Pai Nosso, que estais no Céu (...) Venha a nós o Vosso Reino” (Evangelho, segundo Mateus, 6:9 e 10).

Milagre da Ciência

No campo material, são muitos os exemplos de objetos que, no passado, seriam considerados milagrosos, mas que agora são de uso cotidiano. Hoje, estou falando aqui e sendo ouvido [e lido] por todos vocês, até pelos que estão longe, fora do Brasil. Este microfone é um milagre da Ciência, que antes se encontrava no Invisível. Se alguém dissesse, há alguns anos, que sonhou com uma caixinha dentro da qual pessoas em miniatura andavam e se comunicavam, seria considerado louco. No entanto, não passaria de uma simples previsão do surgimento da TV.

Água Fluidificada

Vejamos o poder da Água Fluidificada: colocamo-la para que Jesus a fluidifique, durante a Poderosa Corrente de Preces do programa Jesus Está Chegando! E alguns se equivocam, imaginando que isso é pura nefelibatice. Mas o que é a água benta, usada há tantos séculos, senão Água Fluidificada? E, na Europa, a hidroterapia já é empregada com base reconhecidamente científica...

Vivian R. Ferreira

A Fonte Sagrada do TBV é um local muito prestigiado pelos visitantes. O local é uma exaltação à Natureza e à água. Antes de jorrar no ambiente, o líquido percorre diversos filtros, atravessa a Nave do TBV, passando sob o Cristal Sagrado e saindo energizada na fonte.

A preguiça mental

Zarur, perguntando, ensinava: “Se Deus criou a água, que é o mais difícil, não pode colocar dentro dela o remédio para a cura de um mal?”

As pessoas, quando não conseguem alcançar algo que esteja além de sua capacidade espiritual, intelectual ou moral, preferem tachá-lo de impossível. Para elas, é mais fácil gargalhar do que pôr o cérebro em funcionamento e concluir que aquilo que negam é perfeitamente realizável. A pior ociosidade é a da mente. É culpada de muito atraso neste mundo. Preguiça mental e covardia intelectual.

A fronteira mais difícil

tela: Jacques Louis David (1748-1825)

Napoleão Bonaparte

Dizia um filósofo que a fronteira mais difícil a ser ultrapassada é a do cérebro humano. Daí ter Napoleão Bonaparte (1769-1821) concluído: “A melhor figura de retórica é a repetição”.

Hoje todos comprovam a razão do desequilíbrio que ameaça o mundo: o progresso intelectual e científico está muito à frente do espiritual, moral, religioso. A nossa luta, na Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, é para que haja a conciliação desses avanços. Mas com Deus. Simplesmente por ser Ele Amor. Zarur afirmava que “só há progresso verdadeiro onde haja a ordem do Amor”.

Sem Amor, o desenvolvimento tem gerado também a destruição. A guerra nuclear ameaça o planeta...

Achado precioso

André Fernandes

Certa vez, na década de 1970, encontrei num velho acetato, cheio de riscos e roído pelo tempo, uma linda versão da Prece do Copo d’Água, feita por Zarur, cerca de vinte anos antes. Imediatamente, enfrentando uma série de dificuldades de ordem técnica — pois o estado do acetato era sofrível —, levei-o ao ar como fato histórico, o que trouxe grande emoção aos ouvintes da Campanha da Boa Vontade e ao coração do saudoso Proclamador da Religião Divina.

Reforço agora aquela providência publicando, nas Sagradas Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o texto daquela comovente oração, que Zarur pronunciou num difícil momento em que forças da treva, negando a realidade da fluidificação do líquido por Jesus, pretendiam contestar a importância da Prece do Copo d’Água. Não conseguiram. Só a Verdade permanece de pé. “Quem está com a Verdade nada pode temer”.

Eis o motivo por que ele cita o exemplo da fluidificação das águas do Jordão e das do poço de Siloé, dois dos muitos milagres do Divino Taumaturgo relatados no Evangelho:

A Prece
Tela: R Josef Unterberger (1864-1933)

Título da obra: Cristo no Monte das Oliveiras.

“Pai Nosso, que estás no Céu, santificado seja o Teu Nome. Venha a nós o Teu Reino, seja feita a Tua Vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas como perdoamos as dos nossos ofensores. Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque Teu é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre. Amém!” (Evangelho, segundo Mateus, 6:9 a 13).

Divino Mestre, Médico de todos os médicos, move o Teu olhar compassivo para os nossos doentes, cujos nomes se encontram no Sagrado Livro de Preces da LBV: todos esses Irmãos em quem vamos pensar na hora da grande vibração da Família Legionária. Disseste, Senhor — “Pedi, e Deus vos dará. Deus não é indiferente nem à morte de um passarinho. Se teu filho te pede um pão, tu lhe dás uma pedra? Se teu filho te pede um peixe, tu lhe dás uma serpente? Ora, se tu, que és mau, sabes dar boas coisas a teu filho, que é que não dará o Pai, que está no Céu?” Por isso mesmo, Senhor, queremos pedir-Te que coloques, neste copinho d’água, o remédio perfeito para cada um de nós. Aquele remédio que colocaste nas águas do Jordão, ou nas águas de Siloé. Remédio Celestial que restituiu a visão a um cego de nascença. Nós Te pedimos, Divino Médico: coloca neste copo d’água o Remédio Celestial de cada um de nós. Que estes doentes em quem vamos pensar, doentes do corpo e doentes da Alma, estejam onde estiverem, recebam neste momento a Bênção da Tua cura, na força desta corrente, em nome de Deus.

Graças, Senhor! Dá-nos a Divina Paz que prometeste àqueles que vivem o Teu Novo Mandamento — “Eu não vos deixarei órfãos. Eu voltarei a vós. Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo. Eu vos dou a Paz de Deus, que o mundo não vos pode dar. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie. Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo! Glória a Deus nas Alturas, e Paz na Terra aos homens [e às mulheres] da Boa Vontade de Deus!”

A Consequência

O resultado não ficava por esperar...

A Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, com o fito de aumentar a Fé regeneradora da multidão de sofredores, que precisavam libertar-se dos seus padecimentos espirituais, morais e físicos, logo informava, como o faz ainda hoje:

De todo o Brasil são remetidas inúmeras cartas à Religião do Amor Universal testemunhando curas feitas pelo Poder da Fé Realizante, por intermédio da Água Fluidificada, aliada ao tratamento da competente medicina humana. Muitas pessoas não entendem como um simples copo d’água pode ser tão benéfico ao organismo. Entretanto, o fato é que as curas são feitas e muitas vidas já foram salvas, como o atestam os testemunhos encaminhados à Sede da Religião Divina. Para melhor ilustrar o que digo, vejamos o que registrou a Legionária Martha de Deus em seu livro Respeitem esse Homem: Zarur (1963): “Onde não há água não há vida. Tal afirmativa da Ciência prova que a água é o fator básico, fundamental e imprescindível para a existência na Terra. É claro ao entendimento até de uma criança: aquilo que é a base da vida tem em si o poder de curar as doenças, que perturbam a circulação do fluido vital, restabelecendo o ritmo normal da vida humana. A existência de vários sanatórios europeus, que se dedicam à cura exclusivamente pela hidroterapia, prova que a Ciência admite, aceita e oficializou o uso da água no tratamento e cura das doenças do corpo em geral, pois inclui o das doenças nervosas e mentais. Está logo claro que, se a água empregada em caráter estritamente científico por si só tem o poder de curar, é lógico que esta mesma água, dinamizada e saturada com a maior força do mundo (que é a da prece), pode operar milagres, independente da necessidade de irmos a um local, com hora determinada, ou a qualquer santuário milagroso, ou pertencermos a qualquer seita religiosa”.

“Quem pode o mais pode o menos”

Por sua vez, reiteramos o que Zarur esclarecia: “Ora, se Deus criou a água, que é mais difícil, por que não poderia colocar nesse líquido o remédio necessário à cura de qualquer enfermidade? Quem pode o mais pode o menos”.

Combatida ontem, imitada sempre

A verdade é que a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, ontem tão combatida, tem servido de exemplo a muitos.

Daí por que, em 1967, escrevi ao término da página “A Política de Deus neste Final de Ciclo Apocalíptico”:

Alziro Zarur tem um grande defeito: viver moralmente mil anos adiante do seu tempo. Por isso é tão acirradamente combatido pelos que, mais tarde, se tornam “donos” das ideias que negavam.

* * *

Hoje, à frente da Religião Divina, mantenho gloriosamente no ar, agora multiplicado nos diversos veículos midiáticos da Comunicação 100% Jesus (rádio, televisão, imprensa e internet), o programa Vamos Falar com Deus, com a Prece do Copo d’Água. Novas multidões podem ouvir a tão poderosa Oração, participar da extraordinária Corrente da Boa Vontade, curar-se do corpo e do Espírito e, assim, salvar-se.

A famosa súplica também tem sido ouvida durante os Congressos da Religião do Amor Universal, bem como em todo o Brasil e no exterior, por intermédio da Super Rede Boa Vontade de Rádio, da Boa Vontade TV, do portal Boa Vontade (www.boavontade.com) e do aplicativo Boa Vontade Play, que veiculam, de hora em hora, o Momento Ecumênico de Oração.

É o milagre da eletrônica, que perpetua a tão preciosa voz de Zarur, de modo que, mesmo depois do desaparecimento do seu corpo físico, possa ele continuar elevando vidas e Almas para Deus, assistindo, assim, à realização de sua confortadora afirmativa: A Legião da Boa Vontade é um compromisso que não cessa nem com a morte”. 

Louvado seja Deus!

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.