O Novo Mandamento de Jesus e a Família Universal (Parte II – Final)

Fonte: Revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!, edição 118, de junho de 2014.

Para falar da nossa residência cósmica, Paiva Netto foi até os astros, passou pela Arte, destacou o Apocalipse e aportou no seio acalentador da Família, revelando a legítima religiosidade que nos embala na Terra. Ao citar antigos escritos, decodifica o futuro e transpõe os limites vibracionais do Universo, nos quais as lições do Evangelho do Divino Mestre apresentam-se como portal de uma nova e íntima dimensão, a do Espírito.

Na conclusão de sua vibrante pregação de improviso, feita aos jovens em 2012, entrega seu coração (e o nosso junto) a JESUS, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, em uma emocionante súplica.

Boa leitura!

Os Editores

O Cosmos restrito

Neste número 118 da revista JESUS ESTÁ CHEGANDO!, apresento o trecho final de minhas palavras aos moços durante o 37o Fórum Internacional da Juventude Ecumênica Militante da Boa Vontade de Deus, ocorrido em 30 de junho de 2012, cuja primeira parte publiquei na edição 114. Nela, vinha lendo e explicando extratos de “A Família de Jesus é toda a Humanidade”, página que escrevi em 1991. Aqui, faço pequena pausa para expor o seguinte:

Arquivo BV

Alziro Zarur

O saudoso Proclamador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, Alziro Zarur (1914-1979), lembrava sempre em suas pregações que Jesus é o Supremo Governante do planeta Terra.

No passado, o conhecimento que se tinha do Universo era muito restrito, tanto que, para muitos estudiosos, nosso mundo era o Todo, o centro do Universo. E esse ponto de vista limitado fez com que alguns grandes pensadores desenvolvessem um raciocínio cingido de fatos unicamente materiais. Você percebe que eles estão falando como se toda a sabedoria fosse centrada na Terra.

Prestem atenção, por favor, quanto nós somos realmente do Novo Mandamento do Cristo, portanto, universalistas:

Jesus, ao lado de Deus, comanda um número imenso de Espíritos que O auxiliam a governar o orbe que habitamos. O governo da Terra começa no Céu. E me refiro aqui a planeta, porque tudo é uno no Universo. Um é o Pai Celestial. Daí a unicidade que exalto, dentro da diversidade que forma o Cosmos, pois temos galáxias, compostas por mundos, estrelas, cometas, buracos negros, buracos brancos, asteroides e tantos outros astros que estão por ser descobertos. Há ainda os universos paralelos e os sobrepostos. Neles, porém, em termos físicos, não acontece a mesma coisa num como noutro. Elas se dão de forma diferente. Exemplo: o que se dá numa estrela obrigatoriamente não sucede num planeta.

Dimensões Espirituais

A população dos Universos é imensa. E muitos apenas imaginam os seus habitantes com um aspecto material, uma variação humana, mesmo que em outra vibração. Mas existe o Universo Espiritual ou os Universos Espirituais, e muitos outros tipos que nós nem conhecemos ainda, com características próprias, matéria peculiar que pulsa em suas ondas, em suas oscilações. Vocês veem até onde vai a nossa Concepção Legionária da Boa Vontade e Cristã do Novo Mandamento a respeito de Família?! Como é amplo o conceito de Família pregado pela Religião do Terceiro Milênio!

Todos: (aplausos!)

**************

Adendo I

Os limites vibracionais do Universo

Em 1981, durante a conferência “A Decodificação do Pai-Nosso”, que realizei, de improviso, em Porto Alegre/RS, Brasil, no Ginásio de Esportes do Colégio Protásio Alves, convidei o povo simples que me honrava com sua atenção a desenvolver este raciocínio:

A Ciência humana, apesar dos esforços de tantos abnegados idealistas, é ainda incipiente: deslumbra-se ante a ínfima parcela do Universo material que vê. Mas e diante do Universo que não enxerga, que não descobriu ainda?... Não aludimos aqui apenas ao Universo físico, com suas galáxias, que é algo realmente de assombrar: só a Via Láctea, da qual fazemos parte, abarca bilhões de estrelas. É incrível a sua grandeza!... E os mais poderosos telescópios, radiotelescópios, alcançam a mínima porção desse Universo material. Os seres humanos (e até mesmo os Seres Invisíveis de razoável elevação espiritual) acabam fascinados, com muita razão... Entretanto, e a parte que não viram ainda? Aí está a filigrana: quando perguntamos pelo que falta desbravar, não estamos unicamente nos referindo à composição física dos corpos celestes que vagam pelo Espaço: essa enormidade material que os maiores cientistas ainda não puderam pesquisar nem sequer ver. Falamos também do Universo Invisível, em que habitam os Espíritos que, no estágio evolutivo da Humanidade atual, não podem ser registrados pelos olhos somáticos nem são acreditados pela Ciência terrestre. E, o que é surpreendente, nem por determinados religiosos que pregam Vida Eterna no Céu que eles não revelam onde fica... Todavia, quando começamos a analisar e estudar as possíveis dimensões em que os Espíritos vivem, alguns menoscabam. Na verdade, temem avançar nessa direção... É como na fábula de Esopo (aprox. 620-564 a.C.): Vulpes et uva (A raposa e as uvas). Na famosa história, uma raposa, não podendo alcançar as almejadas uvas, que se encontravam num galho alto, acusa-as de estarem verdes, embora estivessem maduras.

Depois de muito meditar sobre essa questão das dimensões materiais do Universo (até hoje os astrônomos debatem e se batem e não chegam a uma conclusão decisiva), certa feita, observamos: Meu Deus, cogita-se de grandeza, dimensão, distâncias físicas... Contudo, os limites do Universo podem muito bem ser vibracionais... O ser humano falece, o corpo fica... O Espírito, Alma (ou o que o queiram chamar), que não pode ser confundido com a mente, migra para “outro” Universo que não se vê... É um desafio lançado à mesa da discussão. Em condições específicas, a Religião intuitivamente antecipa aquilo que mais tarde a Ciência comprovará em laboratório. A Intuição*, como já afirmamos, é sempre mais rápida. Desenvolvamos a nossa intuição, porque o “Juízo Final” está às portas. E todos compreenderão que o terceiro milênio no Apocalipse surge quando surge a Nova Jerusalém (Apocalipse de Jesus, 21:2).

* Nota do autor: A Intuição é sempre mais rápida do que a Razão humana, por se tratar do efeito sobre nós da Razão Divina. Veja “Einstein e Intuição”, no terceiro volume das Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, página 56.

**************

Amplitude Divina do conceito de Família

Hoje, no mundo, trabalha-se para extinguir a Família. E se vê muito isso em parte da mídia. Mas há também aqueles que vão ampliando a ideia de família. E no Sentido Divino, que é a base de tudo, entre estes estamos nós, os Cristãos do Novo Mandamento de Jesus, pregando a Amplitude Celeste do conceito de Família, que não é somente pai, mãe, as filhas e os filhos biológicos ou adotivos, os avôs, as avós, os sobrinhos, as sobrinhas, as netas, os netos, os enteados ou enteadas... Portanto, oremos, elevemos o nosso pensamento ao Alto, fitemos os olhos espirituais em Deus e esperemos Dele a inspiração: Ó Senhor dos Universos, como concebeis a ideia de Família?! O que é Família para vós, Senhor?!

E Ele responderá aos que O respeitam, aos que estão concentrados, num momento como este, no que está sendo dito aqui. Os descuidados, numa hora tão séria, receberão de acordo com a sua própria distração.

Façam isso e a vida de Vocês vai melhorar. Vão crescer e superarão todas as dificuldades.

**************

Adendo II

“Avós e netinhos”

Arquivo BV

Stephen Suomi

A Ph.D. em neurociências Suzana Herculano-Houzel apresentou oportuna reflexão sobre o sentido de família, no seu artigo publicado na Folha de S.Paulo, em 29 de abril de 2014 (terça-feira). Intitulado “Avós e netinhos”, ela escreve sobre as vantagens evolutivas do envelhecimento saudável, em especial na interação entre as gerações. Cita pesquisa do neurocientista Stephen Suomi, do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano dos EUA. O que ele e seu orientador Harry Harlow (1905-1981) descobriram? Ao estudar filhotes de macacos reso criados sem mãe e sem carinho, perceberam que eles cresciam com uma série de distúrbios sociais e de ansiedade. No entanto, quando conviviam com macacas e macacos idosos, cuidadores experientes e carinhosos, isso resgatava o desenvolvimento dos bebês. Esse processo, sob a condição de ser um gesto espontâneo dos primatas, isto é, com o direito de ir e vir, também recuperava a saúde física e mental dos mais idosos, fazendo alguns deles assumirem o papel de pais.

Arquivo BV

Harry Harlow

Arquivo BV

Suzana Herculano-Houzel

Diante dessas evidências, a cientista brasileira concluiu com apurada sensibilidade: Avós voluntariamente carinhosos, portanto, ajudam não só a educar a nova geração como ainda a fazer vingar netinhos saudáveis e bem integrados socialmente — e, de quebra, os avós se mantêm revigorados por serem úteis aos netos.

“Eu bem sei. Perdi minha avó no começo deste ano. Cresci ouvindo-a dizer, sempre hiperbólica, que estava à beira da morte — mas ela manteve a saúde de um touro enquanto teve netos e bisnetos por perto de quem cuidar.

“Consolo-me, então, pensando não nos anos que perdemos, mas nos 40 anos em que tive o privilégio de crescer com uma avó que me ensinou música, tricô, costura, empadão e leite queimado; que me divertia não engolindo sapo algum e dirigindo feito uma louca até os 80 e tantos anos — e que sempre teve colo para mim e, depois, para meus filhos”.

Belo testemunho, dra. Suzana. Sabemos que sua avó, onde quer que esteja nesse imenso espaço sideral — pois cremos que os mortos não morrem —, deve ter se comovido com sua homenagem.

Como já afirmei em tantas ocasiões: Amor faz rima perfeita com mãe. E posso acrescentar: com avós também. É a base da Família; logo, o sustento do mundo.

**************

Economia de Deus e felicidade da Família

Vocês não percebem o que está acontecendo ainda no plano da economia desde 2008? Sem a economia não há vida coletiva, isso é uma coisa para se pensar. No entanto, não a economia predatória, do “homem lobo do homem”.

Dr. Bezerra de Menezes

Aqui, na Política de Deus, pregamos o sentido amplo de Economia. Começamos pela Economia Divina, que cuida de nós como Espíritos e nos valoriza como o Capital de Deus. E, se nos vemos como criaturas eternas, vivendo na carne a vida que o Pai Celestial nos concedeu, imaginem como os caminhos se abrirão para nós, como tudo melhorará em nossa Família, em nossa vizinhança, em nossa cidade, em nosso país... Vai ser uma alegria tão grande, quando realmente estivermos nesta sintonia, não é, caro Dr. Bezerra de Menezes? Não é, Irmão Flexa Dourada? Todos os Irmãos, nossos Anjos Guardiães, os Santos, os Espíritos Protetores, os Orixás, ecumenicamente como quiserem chamá-los.

A chave para a fartura de nossos silos materiais encontra-se nos celeiros do Espírito, origem de nossa verdadeira abastança.

Essa é a Fórmula Urgentíssima revelada pelo saudoso Irmão Zarur:  “Somente o estadista que souber Apocalipse saberá prever para prover, governando com acerto, evitando que sua Pátria seja esmagada pelo próximo e último Armagedom (Apocalipse, 16:16). A Fórmula Perfeita para resolver os grandes problemas dos chefes de Estado, na ciência do governo dos povos, é a de Jesus: “Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as coisas materiais vos serão acrescentadas” (Evangelho, segundo Mateus, 6:33). Quer dizer: não haverá soluções perfeitas fora das Leis Eternas, que regem a Terra. O contrário é combater efeitos, enquanto as causas permanecem”.

Todos: (aplausos!)

Michelangelo e o mármore ferido

Arquivo BV

A face de Michelangelo pintada por seu discípulo Daniele de Volterra (1509-1566).

Mas retornando ao meu artigo “A Família de Jesus é toda a Humanidade”:

Você que me honra com a sua atenção já viu como é feita uma grande escultura? Um Michelangelo (1475-1564) produzindo Pietà, Davi ou Moisés? É ferindo o mármore! Aliás, existe uma lenda — se bem que pode ser fato verídico —, na qual se conta que após esculpir a famosa estátua de Moisés, Michelangelo teria batido nela, na altura da perna, e dito: Perché non parli?!” (Por que não fala?!).

Realmente é uma obra de arte extraordinária, que se encontra na Igreja de San Pietro in Vincoli, em Roma, Itália. Já estive lá, olhando essa estátua bem de frente. Dá a impressão de que está viva, de tão perfeita!

Michelangelo (1475-1564)

Moisés

E qual é o ensinamento que nos deixa o consagrado pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano? Se ele não tivesse ferido o mármore, não nos legaria aquela beleza escultural.

Assim é a vida. Os acontecimentos são os cinzéis, e Vocês sabem quem são os escultores? Nós mesmos. Sim, nós próprios esculpimos monstruosidades ou obras-primas.

Daí não podermos ousar pôr a culpa em Deus, no Cristo e no Espírito Santo, ou aleatoriamente até mesmo nas outras criaturas. Os escultores somos nós, usando os cinzéis no mármore de nossa vida.

A Família Universal no Apocalipse

Jesus, ao afirmar que Sua mãe e Seus irmãos são aqueles que cumprem a Palavra ou a Vontade do Pai que está nos Céus, nos deu uma das mais importantes lições para a vivência fraterna entre os seres humanos, pois nos revela que fazemos parte da Grande Família Humanidade (Evangelho do Cristo, segundo Mateus, 12:46 a 50; Marcos, 3:31 a 35; Lucas, 8:19 a 21).

Maria Santíssima com o menino Jesus

Alguns que, porventura, possam ver nessa atitude do Cristo de Deus um desrespeito aos Seus familiares se equivocam, já que Ele havia premiado Maria Santíssima e Seus irmãos ao nascer entre eles.

É necessário ressaltar que, naquela época, como dizia o Irmão Zarur, também chamavam irmãos aos primos-irmãos, e até mesmo aos parentes mais afastados.

Na verdade, a Família de Jesus foi constituída durante várias fases de Sua vida missionária. Apesar de, no relato do Evangelho, ter sido preso à cruz infamante, no Apocalipse, Ele surge glorificado em vitória, como o Leão da Tribo de Judá, que simboliza toda a Humanidade (Apocalipse, 5:5).

A partir daí, o Sublime Amigo forma a Família em esplendor, em salvação, no estabelecimento do Bem. Sim, com Poder e Grande Glória, mas não para se vingar. Se Ele deixou o Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho, segundo São João, 13:34 e 35), volta para que haja Paz na Terra.

O Senhor da Paz e os herdeiros do Pai Celestial

Meditemos sobre o que Alziro Zarur, na 20a Chave Bíblica da Volta Triunfal do Cristo, declarou: Nenhum homem, nenhum grupo forte, nenhum povo, nenhuma nação superpotência, comunista ou capitalista, poderá estabelecer Paz na Terra. Isto é obra pessoal e intransferível de Jesus. Somente o Cristo tem poder — no Céu e na Terra — para realizar essa maravilha”.

Ora, a Paz tem de começar pela reforma do ser humano e de seu Espírito Eterno, não somente pela intelectualidade que, se é fria, constitui a destruição do ser, porque ele perde a Fé na existência superior, que lhe dá vida, Vida Perene.

Nós somos primeiramente herdeiros do Pai Celestial; depois, de nossos genitores da Terra. Por isso, a responsabilidade dos pais é a maior de todas diante desta verdade revelada. Teremos de prestar contas de nossos ensinamentos aos filhos, reportando-nos a um poder incorruptível: o de Deus!

Todos: (aplausos!)

O vibrante Coração Legionário

Arquivo BV

Emmanuel

(...) A vibração de Vocês!... Meu Deus, como é importante! É a sintonia da Grande Família da Boa Vontade da Terra e do Espaço, do Mundo Material e do Mundo Invisível, querendo a Volta Gloriosa de Jesus, desejando ardentemente o conhecimento sagrado que desce de Seu Trono Celeste.

Vocês almejam a sabedoria do Mandamento Novo do Cristo Planetário, ambicionando entender o Evangelho, decifrar o Apocalipse.

Quando perguntaram a Emmanuel (Espírito), pela psicografia de Chico Xavier (1910-2002), qual seria a salvação da Humanidade, ele respondeu: Evangelho, Evangelho e Evangelho!”.

Reprodução BV

Chico Xavier

Claro que não ao pé da letra. Mas em Espírito e Verdade, como queria Allan Kardec (1804-1869), e à luz do Novo Mandamento de Amor, como desejou Alziro Zarur. Dizia o Apóstolo Paulo, em sua Segunda Epístola aos Coríntios, 3:6: A letra mata, mas o Espírito vivifica”.

Reprodução BV

Allan Kardec

Façamos a nossa parte, pois, como enfatizava o Profeta Samuel, em seu Primeiro Livro, 7:12, no Antigo Testamento da Bíblia Sagrada: Até aqui nos trouxe Deus”.

Então, com licença do Profeta, digo — e nos levará a distâncias incomensuráveis, não apenas físicas, todavia morais e espirituais.

Somos filhos de um Pai que conhece nosso destino muito melhor do que nós próprios. É a hora de nos recompormos, de nos refazermos, de nos reconstruirmos, porque Jesus vem e dará a cada um, como Ele próprio garantiu, de acordo com as obras de cada um (Evangelho, segundo Mateus, 16:27).

Todos: (aplausos!)

Nossa súplica ao Cristo

Vamos pedir a Jesus que tenhamos a Pedagogia do Seu Afeto, que não é somente para crianças; é para a Alma de jovens, adultos, idosos... Que a Pedagogia do Afeto Dele nos faça fortes, sadios, tranquilos, felizes, decididos!

Preguem! Confiem em Jesus, levando adiante a flama de Seu Evangelho, de Seu Apocalipse, os Atos dos Apóstolos, as Epístolas, e indo ao coração das criaturas. Não falem para o intelecto apenas, isso seria um crime contra Deus e Suas criaturas. Temos de ir ao sentimento.

É no íntimo que a pessoa sofre, se regozija, se alegra ou padece muitas dores, que tantas vezes não revela. Contudo, está com as mãos da Alma estendidas, pedindo socorro, suplicando amparo, implorando abrigo para o coração.

Todos: (aplausos!)

Aproximam-se do mundo tempos diferentes que os seres humanos estranharão. Épocas de grandes tempestades. É como escrevi em Jesus, o Profeta Divino, na página 347 (8a edição): Cada vez que o vento das mudanças sacode a árvore, caem-lhe os frutos da época superada.

Mas como nos preparar para os derradeiros momentos de convulsão que mostram seus sinais por todo o orbe? Atentos estejamos para o que afirma Jesus no Apocalipse, 3:10: “Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também Eu te guardarei da hora da tormenta, que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a Terra.

Momento de oração

Vamos orar. Que a Paz de Deus esteja agora e sempre com todos!

Pai-Nosso

(A Prece Ecumênica de Jesus)

Pai Nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome.

“Venha a nós o Vosso Reino.

“Seja feita a Vossa Vontade assim na Terra como no Céu.

“O pão nosso de cada dia dai-nos hoje.

“Perdoai as nossas dívidas, assim como perdoarmos aos nossos devedores.

“E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, porque Vosso é o Reino, e o Poder, e a Glória para sempre. Amém!”

Jesus, Bom e Amado Mestre, cuja misericórdia nos sustenta! Aqui estamos todos nós, diante de Ti, dizendo-Te: Viveremos e estudaremos o Teu Novo Mandamento, analisaremos todas as coisas do mundo, segundo o Teu conceito, e daremos ensejo à Política de Deus, Política para o Homem e, antes de tudo, para o Espírito do Homem.

Só Tu és poder, tens o conhecimento de todas as ciências deste mundo e do outro. E Tu nos sabes conduzir com perfeita maestria.

Ó Jesus! Que infinita competência a Tua de levar esta Humanidade à frente sem permitir, respeitando o livre-arbítrio dela, que liquide com o planeta que criaste, para que nele possamos evoluir.

Nós erguemos a nossa Alma, levantamos os braços na vontade de tocar os Teus pés, e estaremos satisfeitos com essa glória.

Há dois milênios, disseste: “Na vossa perseverança, salvareis as vossas Almas” (Evangelho, segundo Lucas, 21:19).

É o que desejamos!

E no 56o aniversário de minha labuta (estávamos em 2012) nestas Casas de Deus — LBV, Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo —, Te peço que me dê forças para prosseguir, até quando determinares que assim o seja.

Agora, Senhor, cada um de nós vai Te fazer um pedido, que às vezes não pode revelar a qualquer ser terreno, por mais amigo, ou mais amiga que seja.

Atende, Senhor, a esta rogativa.

(Intervalo musical para a rogativa)

Senhor, cada um fez o seu pedido, consciente de que estás atento ao que se passa em nossos corações. Porque disseste, Senhor, no Teu Evangelho, segundo Mateus, 7:7, 9 a 11: “Pedi e Deus vos dará. (...) Deus não é indiferente nem à morte de um passarinho. Se teu filho te pede um pão, tu lhe dás uma pedra? Se teu filho te pede um peixe, tu lhe dás uma serpente? Ora, se tu que és mau, sabes dar boas coisas a teu filho, o que é que não dará o Pai que está no Céu?

Por isso mesmo, Senhor, queremos pedir-Te que coloques neste copinho d’água o remédio perfeito para cada um de nós. Aquele medicamento que depositaste nas águas do Jordão ou nas águas de Siloé, bálsamo celestial que restituiu a visão a um cego de nascença.

Nós Te pedimos, Divino Amigo: coloca neste copo d’água o lenitivo sublime para cada um de nós. E que estes doentes em que agora vamos pensar — doentes do corpo e doentes da Alma —, estejam onde estiverem, recebam neste momento a bênção da Tua cura, na força desta corrente, em nome de Deus.

Graças, Senhor! Ó Cristo Ecumênico Jesus, Estadista dos estadistas, dá-nos a Sublime Paz que prometeste àqueles que vivem o Teu Novo Mandamento: “Minha Paz vos deixo, minha Paz vos dou. Eu não vos dou a paz do mundo, Eu vos dou a Paz de Deus que o mundo não vos pode dar. Não se turbe o vosso coração nem se arreceie. Eu estarei convosco, todos os dias, até o fim do mundo! (Evangelho, segundo João, 14:27 e 1; e Mateus, 28:20).

“Glória a Deus nas Alturas, Paz na Terra aos Homens (e às Mulheres, aos Jovens, às Crianças e aos Espíritos, Almas Benditas) da Boa Vontade de Deus!”

Quem confia em Jesus não perde o seu tempo, porque Ele é o Grande Amigo que não abandona amigo no meio do caminho.

E como exclamava o Irmão Zarur: “Em qualquer circunstância, pensem logo em Jesus!”.

Coloco na mão de cada um de Vocês o meu coração e a minha certeza de que faremos esta Obra sempre mais digna do Cristo de Deus, o Seu Divino Fundador.

Quanto mais perto de Jesus, mais longe dos problemas!

Servir a Jesus não é sacrifício. É privilégio!

Deus Está Presente!

Viva Jesus em nossos corações para sempre!

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".