Vencedores

Fonte: Jornal de Brasília, edição de 2 de dezembro de 2014, terça-feira. | Atualizado em novembro de 2020.

Em 3 de dezembro, celebramos o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, oportuna data instituída pelas Nações Unidas em 1992. Trata-se de uma vitória, pois visa ao aumento da consciência dos povos para a melhoria das condições de vida daqueles que enfrentam algum tipo de necessidade especial. Não por acaso, em 2/12 temos o Dia Internacional para a Abolição da Escravatura. Entre as execráveis formas de escravidão conhecidas, o cativeiro do isolamento, ao qual, por vezes, os deficientes são condenados, urge também ser abolido.

Arquivo BV

Lícia Margarida de Paiva

Conheço de perto a luta das pessoas com deficiência, mas sei igualmente da força de vontade que são capazes de desenvolver. Minha querida e saudosa irmã, Lícia Margarida (1942-2010), não enxergava. Contudo, com muito esforço, dedicação e Amor Fraterno pelas criaturas, conquistou a grande habilidade de ser feliz. Sua afabilidade no trato humano era impressionante. Além de ter um senso de humor saudável, sua memória era espetacular.

Habitando hoje o Mundo Espiritual, ao lado de nossos amados pais, Idalina Cecília (1913-1994) e Bruno Paiva (1911-2000), Lícia segue sua jornada evolutiva, agora com os olhos iluminados pela vida em outra dimensão. Os mortos realmente não morrem!

Arquivo pessoal

Idalina Cecília e Bruno Paiva

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem “o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno. Em suma, a constante matemática que harmoniza a equação da existência espiritual, moral, mental e humana. Ora, sem esse saber de que existimos em dois planos, portanto não unicamente no físico, fica difícil alcançarmos a Sociedade realmente Solidária Altruística Ecumênica, porque continuaremos a ignorar que o conhecimento da Espiritualidade Superior eleva o caráter das criaturas e, por conseguinte, o direciona à construção da Cidadania Planetária”.