Trombetas e compositores

Fonte: Reflexão de Boa Vontade extraída do livro Tesouros da Alma, de novembro de 2017. | Atualizado em setembro de 2018.

Primeiro de outubro de 2018, 46 anos da Proclamação do Apocalipse de Jesus!

Arquivo
Proclamação do Apocalipse de Jesus, realizada por Alziro Zarur (1914-1979), na cidade de Ribeirão Preto/SP, em 1º de outubro de 1972.
Arquivo BV

Alziro Zarur

Celebrando essa importante revelação feita por Alziro Zarur (1914-1979), em Ribeirão Preto/SP, trago a todos vocês página que apresentei em Apocalipse sem Medo (2000). Trata-se do capítulo “Trombetas e compositores”. Lá, eu afirmo que até hoje há quem exclame: “O Apocalipse é o desamor de Deus para com a humanidade!” E prossigo:

Estarão certos? Veremos que não.

Vamos por partes. O que nos ensina a sabedoria antiga?: “O pensamento é o alfaiate do destino”.

Tela: Guido Reni (1575-1642)

Lucas

Com os nossos ideais e atos, acabamos por desvendar a nossa intimidade. Jesus, o Cristo Ecumênico, o Divino Estadista, declara isto no Evangelho, segundo Lucas, 6:45: “O homem bom do bom tesouro do coração tira o bem, e o mau do mau tesouro tira o mal; porque fala a boca do que está cheio o coração”.

Diante disso, os Anjos das Sete Trombetas — que, na atualidade, em análise simples, significam fatos políticos e fatos político-guerreiros — quando as tocam, não o fazem aleatoriamente. Estão externando o que os Sete Selos (Apocalipse, capítulos 6 e 8) revelam acerca do nosso sentimento, expresso na partitura musical que, com as nossas atitudes, compusemos.

Tela: Sátyro Marques

Detalhe da obra: O sétimo selo - Os anjos com as suas trombetas.

Nós é que produzimos a trágica ou bela melodia que os Anjos executarão.

O Apocalipse é, portanto, traçado por nós, quando respeitamos ou infringimos as normas do Criador.

Reprodução BV

Dante Alighieri

Em A Divina Comédia — Paraíso, Canto XXII —, Dante Alighieri (1265-1321) poeticamente ilustra a Justiça de Deus: “Nunca se apressa a espada celestial, / nem se atrasa, a não ser pela opinião / de quem a invoca ou teme, por sinal”.

Por sua vez, Alziro Zarur sentencia: “A Lei Divina, julgando o passado de homens, povos e nações, determina-lhes o futuro”.

Portanto, reitero, o Apocalipse não foi feito para apavorar com os caminhos obscuros do mistério, mas para iluminar as estradas da nossa vida, porque Apocalipse significa Revelação.

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV). Membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), é filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), à International Federation of Journalists (IFJ), ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, ao Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e à União Brasileira de Compositores (UBC). Integra também a Academia de Letras do Brasil Central. É autor de referência internacional na defesa dos direitos humanos e na conceituação da causa da Cidadania e da Espiritualidade Ecumênicas, que, segundo ele, constituem "o berço dos mais generosos valores que nascem da Alma, a morada das emoções e do raciocínio iluminado pela intuição, a ambiência que abrange tudo o que transcende ao campo comum da matéria e provém da sensibilidade humana sublimada, a exemplo da Verdade, da Justiça, da Misericórdia, da Ética, da Honestidade, da Generosidade, do Amor Fraterno".